Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/1066
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Manifestações sociais brasileiras e suas articulações entre memória e identidade
Autor(es)/Inventor(es): Rodrigues, Tatiana D’Almeida
Orientador: Oliveira, Antonio José Barbosa de
Resumo: Na sociedade contemporânea multicultural o sujeito é afetado a todo o tempo por questões culturais das mais diversas, havendo inevitavelmente uma interpenetração entre estas culturas. Nos movimentos sociais existem, embora em certos momentos elas compactuem apenas uma cultura dominante, vários tipos diferentes de subculturas, o que faz com que o sujeito participante ora apresente determinadas características de uma identidade, ora de outra. Além desta questão identitária, outro aspecto nitidamente recorrente nos movimentos sociais é atualização ou transformação de uma memória já existente e de lugares de memória, ajudando, inclusive, o sujeito em seus processos de identidade. Neste ano de 2013, no Brasil, muitas manifestações sociais estão ocorrendo, tornando assim necessários estudos e análises que tratem especificamente destes movimentos. Desta maneira, a presente pesquisa tem por objetivo analisar como a memória e a identidade se fazem presentes nestas manifestações sociais, investigando suas relações com a história e com o discurso e a linguagem, objetivando-se, especificamente, identificar como se dá o fenômeno da identidade entre os jovens envolvidos e como a memória – individual e/ou coletiva – está presente neste contexto, a partir de uma vasta gama de conteúdos informacionais. A metodologia utilizada para o alcance dos objetivos propostos é a abordagem qualitativa, sendo os objetos de investigação as imagens produzidas durante as manifestações, à luz da teoria de Bakhtin, sobretudo quando o mesmo afirma que todo enunciado está envolto de ideologias. A coleta de dados se dará por meio da pesquisa exploratória, e a análise destes dados a partir dos conceitos mencionados. A partir das análises e dos resultados, pode-se observar que os sujeitos participantes das manifestações se valem inúmeras vezes dos elementos e atributos da memória de forma a validar seus discursos, apoiando-os em discursos anteriores. Verificou-se ainda que as relações dialógicas somente se dão quando há, por parte do receptor do enunciado, uma rede de memórias prontas a entrarem em cena a partir da vivência de situações semelhantes àquelas. Por fim, foi visto que no interior das manifestações sociais os sujeitos vivem a todo o tempo com suas identidades em xeque, passando por várias transformações identitárias até se reconhecerem, de fato, a própria face.
Palavras-chave: Manifestações públicas
Identidade
Memória
Comunicação
Movimentos sociais
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::CIENCIA DA INFORMACAO::BIBLIOTECONOMIA
Departamento: Faculdade de Administração e Ciências Contábeis
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 19-Nov-2013
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/1066
Aparece nas coleções:Biblioteconomia e Gestão de Unidades de Informação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tatiana D'Almeida_DRE 110043483.pdf1,67 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.