Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/208
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Pop Pop Poesia: ácido de A a Z experimentação em poesia das novas mídias
Autor(es)/Inventor(es): Rocha, Mariana Lavrado
Orientador: Salis, Fernando
Resumo: Projeto experimental em Poesia das Novas Mídias composto do livro Pop Pop Poesia – ácido de A a Z e do enhanced CD Pop Pop Poesia – ácido de A a Z Versão redonda. Explora a nova linguagem artística surgida com o advento dos avanços tecnológicos e meios digitais, e as possibilidades de comunicação trazidas pelo computador. A união do áudio e do vídeo à palavra poética e a transformação do leitor em operador da mensagem – que é chamado a abandonar a antiga passividade perante a obra literária - são as suas principais características. A partir do estudo dos movimentos de Vanguardas das literaturas européia e americana e seus reflexos e desdobramentos no Brasil, é traçado o panorama histórico da poesia do século XX ao XXI. Essa análise serve para pontuar o trabalho, revelando as influências do texto e das formas escolhidas.
Palavras-chave: Poesia
Mídia
Literatura
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO::RADIO E TELEVISAO
Departamento: Escola de Comunicação
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 6-Dez-2004
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Citação: ROCHA, Mariana Lavrado. Pop Pop Poesia: ácido de A a Z, experimentação em poesia das novas mídias. 2004. 100f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação - Habilitação em Radialismo) - Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2004.
URI: http://hdl.handle.net/11422/208
Aparece nas coleções:Comunicação - Radialismo

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
monografia_completa.pdf205,48 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.