Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/10299
Type: Relatório
Title: Empresas gestoras de private equity e venture capital com ações negociadas em bolsas e fatores macroeconômicos no Brasil
Author(s)/Inventor(s): Souza, Samuel Martins de
Leal, Ricardo Pereira Câmara
Abstract: Os veículos de private equity e venture capital (PEVC) são cada vez mais relevantes para investidores e considerados uma classe de ativos diferente das ações negociadas em bolsa em diversos regramentos brasileiros. Franzoni, Nowak e Phalippou (2012) lançam dúvidas sobre a capacidade de veículos de PEVC estrangeiros gerarem alfa depois de considerados os riscos, inclusive o de liquidez. Há poucos estudos sobre a rentabilidade de PEVC no Brasil. Dados sobre o retorno dos investimentos feitos por organizações gestoras de PECV são escassos e, por isso, este artigo analisou os retornos das ações de três empresas gestoras de PEVC negociadas na bolsa brasileira. O objetivo foi averiguar se a tese de PEVC constituir uma classe de ativos apartada é sustentada pela forma como fatores macroeconômicos de risco influenciam os retornos em bolsa das empresas gestoras de PEVC e dos índices de empresas de baixa capitalização de mercado (SMLL) e Ibovespa. Os fatores macroeconômicos foram calculados conforme trabalhos sobre a Arbitrage Pricing Theory (APT). Os métodos econométricos empregados foram a análise univariada de Granger e vetores autorregressivos (VAR). A evidência sugere que a carteira constituída pelas três empresas gestoras de PEVC não apresenta retorno histórico atraente e se comporta de maneira similar aos índices em relação aos fatores macroeconômicos. O método empregado não permitiu confirmar que PEVC é uma classe de ativos diferente e tem implicações sobre decisões de alocação de ativos.
Abstract: Private equity and venture capital (PEVC) vehicles are increasingly relevant to investors and considered an asset class different from public equity in Brazilian regulation. Franzoni, Nowak and Phalippou (2012) cast doubts on the ability of foreign PEVC vehicles to generate alpha after considering risks, including liquidity. There are few studies about the profitability of PEVC in Brazil. Data on the return on investments made by PECV companies are scarce and this article used the stock returns of three PEVC market traded companies. The goal was to verify if the thesis that PEVC constitutes a separate asset class is supported by the way in which macroeconomic risk factors influence the stock returns of these PEVC companies as well as an index of low market capitalization companies (SMLL) and the Ibovespa. The macroeconomic factors were calculated as in other articles about the Arbitrage Pricing Theory (APT). The econometric methods employed were the univariate analysis of Granger and vector autoregression (VAR). The evidence suggests that the portfolio of three PEVC companies does not present attractive historical returns and behaves similarly to the indexes in relation to macroeconomic factors. The method employed does not confirm that PEVC is a different asset class and has implications on asset allocation decisions. Keywords: private equity, venture
Keywords: Finanças
Capital de risco
Bolsa de valores
Subject CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO
Production unit: Instituto COPPEAD de Administração
Publisher: Universidade Federal do Rio de Janeiro
In: Relatórios COPPEAD
Issue: 411
Issue Date: 2013
Publisher country: Brasil
Language: por
Right access: Acesso Aberto
ISBN: 9788575080986
ISSN: 1518-3335
Citation: SOUZA, Samuel Martins de; LEAL, Ricardo Pereira Câmara. Empresas gestoras de private equity e venture capital com ações negociadas em bolsas e fatores macroeconômicos no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ, 2013. 24 p. (Relatórios COPPEAD, 411).
Appears in Collections:Relatórios Técnicos e de Pesquisa

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
RC_411-Comp..pdf279,75 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.