Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/11794
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSilva, Adolfo Henrique Coutinho e-
dc.contributor.authorMagalhães, Patrick Pão Alvo-
dc.date.accessioned2020-04-15T21:19:41Z-
dc.date.available2020-04-17T03:00:21Z-
dc.date.issued2019-08-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/11794-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectCPC 47 (IFRS 15)pt_BR
dc.subjectSetor de Energiapt_BR
dc.subjectCPC 30pt_BR
dc.subjectMensuração da Receitapt_BR
dc.titleOs impactos do CPC 47 em companhias brasileiras do setor de energiapt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/0634460841730084pt_BR
dc.description.resumoDiversas Companhias sofrem mudanças internas diante a elaboração de uma nova norma contábil, exigindo dedicação das companhias em questão de gerenciamento e processos. No ano de 2014, o IASB e o FASB emitiram a IFRS 15, com o objetivo de melhorar o reconhecimento e a mensuração da receita de contratos com clientes. Diante disso, as companhias tiveram um prazo para se adequar e, consequentemente, devido às mudanças, podem sofrer impactos relevantes em seus processos internos e em suas demonstrações financeiras, relativos à mensuração e ao reconhecimento das receitas. A Nova Norma de Reconhecimento de Receita, o IFRS 15 equivalente ao CPC 47, que entrou em vigor a partir de primeiro de Janeiro de 2018 trazendo diversas mudanças e implicações para as companhias de muitos segmentos. Nesse contexto, o presente estudo tem por objetivo analisar os impactos da IFRS 15 (CPC 47) em companhias do setor de energia, no que se refere aos critérios de mensuração, reconhecimento e evidenciação das receitas. Adicionalmente, busca-se identificar quais mudanças internas as empresas do setor podem sofrer a partir da vigência da IFRS 15 (CPC 47, no Brasil), no que se refere ao atendimento dos requisitos da nova norma. Para isso foram selecionadas cinco companhias do setor de energias com demonstrações contábeis publicamente disponíveis no Brasil no ano de 2018. Trata-se de uma pesquisa documental, de caráter descritivo, com abordagem qualitativa. Os resultados apontaram que todas as empresas analisadas, começaram a relatar alterações no reconhecimento e mensuração das receitas, além das mudanças na divulgação das informações. Os principais impactos referem-se a indicadores de desempenho (DIC, FIC, DMIC e DICRI) alterados pela nova norma, que foram reclassificadas de despesa operacional para receita operacional e os ativos contratuais representados pelos bens vinculados à concessão, durante o período de construção ou de melhoria, que foram reclassificados da rubrica de ativo intangível da concessão para ativo contratual. Tais alterações são irrelevantes quando comparadas ao restante dos valores monetários apresentados, porém são de suma importância quando se trata de um melhor conhecimento e visualização das informações aos usuários das demonstrações financeiras.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentFaculdade de Administração e Ciências Contábeispt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO::CIENCIAS CONTABEISpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Ciências Contábeis

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PPAMagalhães.pdf317,42 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.