Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/12297
Type: Dissertação
Title: Vulnerabilidade dos países exportadores de petróleo à própria riqueza: o caso dos países-membros da OPEP
Author(s)/Inventor(s): Silva, Filipe de Pádua Fernandes
Advisor: Szklo, Alexandre Salem
Abstract: Os países exportadores de petróleo podem ser vulneráveis à própria riqueza. Esses países estão sujeitos à hipótese da maldição dos recursos naturais, o que impede o desenvolvimento socioeconômico a longo prazo por meio de mecanismos de transmissão como volatilidade das receitas e falhas políticas e institucionais. Ao mesmo tempo, estão sendo pressionados por tendências e mudanças tecnológicas, como revolução do shale, políticas de mudanças climáticas e tecnologias de baixo carbono, que têm potencial para impactar a dinâmica da indústria mundial do petróleo. Logo, essas vulnerabilidades colocam em dúvida a extensão na qual os recursos de petróleo podem servir no futuro como fontes de renda e de desenvolvimento socioeconômico para países exportadores de petróleo. Com o objetivo de mensurar essas vulnerabilidades, este estudo propõe uma metodologia baseada em indicadores e em uma análise multicritério, o Método de Análise Hierárquica (AHP). Os indicadores são utilizados para uma análise estática e comparativa da vulnerabilidade entre os países, e são organizados de acordo com cinco critérios: Produção, Mercado, Meio Ambiente, Econômico e Sociopolítico. Por fim, a metodologia proposta é aplicada aos países-membros da OPEP com o objetivo de avaliar em que medida estão sujeitos às vulnerabilidades da indústria do petróleo. Os resultados obtidos indicam que Emirados Árabes Unidos, Qatar, Irã e Arábia Saudita são os países menos expostos, embora apresentem uma certa fragilidade em determinados aspectos, enquanto Iraque, Líbia, Gabão, Nigéria e Angola são suscetíveis aos maiores riscos e ameaças associadas às vulnerabilidades.
Abstract: Oil-exporting countries may be vulnerable to their own wealth. These countries are subject to the resource curse hypothesis, which hinders their long-term socioeconomic development. This can derive from transmission mechanisms such as revenue volatility and political and institutional failures. Oil-exporting countries are also being challenged by environmental, market trends and technological breakthroughs, including shale revolution, climate change policies, and low-carbon technologies. These vulnerabilities cast doubt on the extent to which oil resources could serve in the future as sources of income and socio-economic development for oil-exporting countries. In order to measure these vulnerabilities, this study develops and applies a methodology based on indicators and multi-criteria analysis, the Analytic Hierarchy Process (AHP). The indicators are used for a static and comparative analysis of the vulnerability between oilexporting countries, being organized according to five criteria: Production, Market, Environment, Economic and Sociopolitical. Finally, the proposed methodology is applied to OPEC member countries in order to assess to what extent they are subject to the vulnerabilities. The results indicate that the United Arab Emirates, Qatar, Iran and Saudi Arabia are the least exposed countries, although fragile in certain aspects, while Iraq, Libya, Gabon, Nigeria and Angola are more susceptible to the risks and threats associated with the global oil market vulnerabilities.
Keywords: Organização internacional
Indústria petroquímica
Subject CNPq: CNPQ::ENGENHARIAS
Program: Programa de Pós-graduação em Planejamento Energético
Department : Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia
Publisher: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Issue Date: Mar-2018
Publisher country: Brasil
Language: por
Right access: Acesso Aberto
Appears in Collections:Planejamento Energético

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FilipeDePaduaFernandesSilva-min.pdf2,61 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.