Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/13433
Type: Trabalho de conclusão de graduação
Title: Piercing Points entre o nordeste da América do Sul e o noroeste da África – correlação dos domínios tectônicos
Author(s)/Inventor(s): Adio, Dolapo Gbadebo
Advisor: Schmitt, Renata da Silva
Co-advisor: Silva, Evânia Alves da
Abstract: A África e a América do Sul eram parte do Gondwana Ocidental, um paleocontinente formado há milhões de anos no final do Proterozóico e o início do Fanerozóico. A correlação entre os dois continentes atuais é debatida há séculos, desde 1507 com o geógrafo Abraham Ortelius até 1927, quando o geólogo Alex Du Toit nas suas pesquisas corroborou a Teoria da Deriva Continental de Alfred Wegener. Quase cem anos depois, os avanços na tecnologia e no conhecimento geológico dos continentes e do assoalho oceânico permitem uma correlação mais precisa e ajustada entre os dois continentes. Neste trabalho, foram realizadas análises das feições litológicas, geocronológicas, geoquímicas, metalogenéticas e estruturais no nordeste da América do Sul e noroeste da África, de forma a estabelecer uma correlação geológica de escala litosférica, i.e. piercing points. O novo mapa geológico do Gondwana, escala 1:5M, da base de dados do projeto Gondwana (UFRJ-PETROBRAS), juntamente com a literatura existente foram usados para compilar a geologia dos domínios geotectônicos dos crátons São Luís, Amazônico, Oeste Africano, bem como das faixas móveis Gurupi, Araguaia e Rokelides. A Formação Igarapé de Areia, no Cráton São Luís, e a sequencia sedimentar da bacia do Tarkwa, no domínio Bauole-Mossi do Cráton Oeste Africano, têm idades máximas de deposição semelhantes de 2,1 Ga, assim como coincidência na sequencia de camadas sedimentares (conglomerados, arenitos, grauvaca e pelitos). As duas sequencias têm idade de mineralização de ouro paleoplacer de ca. 2,1 - 2,07 Ga e mesmo baixo grau metamórfico, na fácies xisto verde. Na reconstrução das bacias aplicou-se a rotação no sentido anti-horário de aproximadamente 28 o para o continente sul-americano para encaixe com o continente africano. Assim os trends estruturais NNE - SSW em Igarapé de Areia seguem o mesmo quadrante que os trends NE - SW da Bacia do Tarkwa. Neste trabalho outros possíveis piercing points também são propostos. O embasamento do Bloco Amapá e do Domínio Bacajá (Província Transamazônica) é correlacionado com o embasamento do Kénema-Man do Cráton Oeste Africano. Nas faixas móveis neoproterozóicas, a Formação Tucuruí alinha-se com o Grupo Rokel River, o Grupo Baixo Araguaia e as Formações Vila Cristal e Marajupema são correlacionadas com o Grupo Marampa da Faixa Rokelides na África Ocidental.
Keywords: Terrenos tectônicos
Gondwana Oeste
Piercing points
Cráton Oeste Africano
Cráton Amazônico
Subject CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Production unit: Instituto de Geociências
Publisher: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Issue Date: Nov-2020
Publisher country: Brasil
Language: por
Right access: Acesso Aberto
Appears in Collections:Geologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ADIO, D.G.pdf4,01 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.