Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/13853
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorPinheiro, Diogo Oliveira Ramires-
dc.contributor.authorCamargo, Brendha Portela-
dc.date.accessioned2021-03-17T14:19:49Z-
dc.date.available2021-03-19T03:00:08Z-
dc.date.issued2021-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/13853-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectLinguística cognitivapt_BR
dc.subjectGramática de construçõespt_BR
dc.title"Eu bem queria virar jacaré": um estudo experimental sobre a construção de contraexpectativa com bempt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/8691039251844677pt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9039851849912901pt_BR
dc.contributor.referee1Ferrari, Lilian Vieira-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4652172144789181pt_BR
dc.description.resumoSousa (2021) caracteriza a Construção de Contraexpectativa com Bem (CCB) do português brasileiro (PB), instanciada em sentenças como (1) Meu nariz bem sangrou hoje e (2) O João bem tirou 10 em matemática, como um disparador de pressuposição negativa, cuja função é marcar a ciência do falante de que seu nterlocutor não tinha a expectativa de que o enunciado produzido pelo falante seria proferido. A proposta, embora parta de uma análise de dados linguísticos reais, se fundamenta em última instância na interpretação da própria pesquisadora, o que, naturalmente, levanta dúvidas sobre sua realidade psicológica. Diante disso, este estudo se propõe a verificar experimentalmente a validade da análise de Sousa (2021). Para isso, foi desenvolvido um experimento off-line de paradigma de escolha forçada em que os participantes deveriam julgar se as sentenças a que eram expostos disparavam a evocação de um pressuposto positivo ou negativo, ou se não era possível optar por nenhuma dessas duas alternativas. Cada sujeito foi exposto a uma série de estímulos com e sem a CCB. Os resultados mostraram que, nos estímulos com a CCB, os participantes escolheram a alternativa associada à evocação de pressuposto negativo com frequência significativamente maior do que as demais alternativas (p < 0.00001), ao passo que o mesmo não se verificou para os estímulos sem a CCB. Esses resultados fornecem evidências em favor da hipótese de que a CCB atua como um disparador de pressuposição negativa.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentFaculdade de Letraspt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICApt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Letras - Inglês

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
BPCamargo.pdf256.79 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.