Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/2345
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorLuz, Cristina Rego Monteiro da-
dc.contributor.authorBalloussier, Anna Virginia-
dc.date.accessioned2017-06-28T19:56:16Z-
dc.date.available2017-06-30T03:00:13Z-
dc.date.issued2009-12-02-
dc.identifier.citationBALLOUSSIER, Anna Virginia. Quando o documentário mente e a ficção fala a verdade, ou o dia em que Werner Herzog colocou o f no falso. 2009. 59 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação - Habilitação em Jornalismo) - Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/2345-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectDocumentáriopt_BR
dc.subjectVerdadept_BR
dc.subjectWerner Herzogpt_BR
dc.titleQuando o documentário mente e a ficção fala a verdade, ou o dia em que Werner Herzog colocou o f no falsopt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9845102367219960pt_BR
dc.contributor.referee1Soares, Augusto Gazir Martins-
dc.contributor.referee2Vaz, Paulo Roberto Gibaldi-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/5987778390189807pt_BR
dc.description.resumoObserva a relação da contemporaneidade com duas categorias cinematográficas: ficção e documentário. Nosso tempo, a princípio, caminha para a superação do projeto positivista, desbravador de algo que as ciências nascentes desejavam que existisse – a Verdade maiúscula. Se termos como verdade e mentira foram atropelados pelo bonde da história, é justo dizer que o homem contemporâneo é mais dócil na hora de acatar a fusão entre documentário e ficção. Mas a divisão continua lá, ainda que mais escamoteada. Esta pesquisa tenta provar, com enfoque no processo de categorização do mundo por meio do discurso, como ainda nutrimos apego a classificações que acreditávamos superadas. Somos, afinal, capazes de reconhecer uma obra híbrida, mas só se separarmos, dentro dela, os teores ficcional e documental (ainda vistos como incompatíveis, tal qual água e azeite).Um filme de Werner Herzog, O Enigma de Kaspar Hauser, nos servirá para analisar antigos binômios ainda musculosos, embora menos exibicionistas do que no passado, como verdade/mentira, espontâneo/artificial e, claro, documentário/ficção.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Comunicaçãopt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO::JORNALISMO E EDITORACAOpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Comunicação - Jornalismo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ABALLOUSSIER.pdf494,62 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.