Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/308
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSovik, Liv Rebecca-
dc.contributor.authorFonseca, Luiz Felipe dos Santos-
dc.date.accessioned2016-05-10T17:13:57Z-
dc.date.available2016-05-12T03:00:10Z-
dc.date.issued2006-06-23-
dc.identifier.citationFONSECA, Luiz Felipe dos Santos. Utilização de arquétipos pela indústria cultural: o caso dos romances femininos vendidos em banca. 2006. 60 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação - Habilitação em Produção Editorial) - Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2006.pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/308-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectProdução editorialpt_BR
dc.subjectRomance feminopt_BR
dc.subjectArquétipopt_BR
dc.titleUtilização de arquétipos pela indústria cultural: o caso dos romances femininos vendidos em bancapt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/7709834262127600pt_BR
dc.description.resumoAo verificar as estruturas industriais e a sistematização pela qual os romances femininos vendidos em banca se submetem durante sua produção, questiona-se a forma com que um produto cultural, resultado de fórmulas e padrões, pode atrair e manter um público consumidor. Para tanto, recorre-se à teoria de Jung sobre arquétipos e o inconsciente coletivo como forma de justificar o caráter ao mesmo tempo individual e coletivo do ato de consumo do produto cultural. Esta característica recai sobre os próprios meios de produção, elucidados por Morin e Martín-Barbero ao tratarem da constituição da indústria cultural. Partindo para um plano de análise mais específico, utiliza-se a concepção do mito talhada por Barthes para entender o mecanismo pelo qual o arquétipo pode ser projetado em um produto cultural. Finalizando o trabalho, a obra de Campbell elucida um dos arquétipos presentes no romance feminino Quem é essa garota?, de Lisa Plumley, com intuito de exemplificar o uso de arquétipos em produtos culturais.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Comunicaçãopt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO::JORNALISMO E EDITORACAOpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Comunicação - Produção editorial

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
utilizacao_de_arquetipos_inicial (2 files merged).pdf423 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.