Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/323
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSousa, Paulo César Castro de-
dc.contributor.authorAlves, Leonardo Secco-
dc.date.accessioned2016-05-11T19:48:19Z-
dc.date.available2016-05-13T03:00:08Z-
dc.date.issued2009-08-27-
dc.identifier.citationALVES, Leonardo Secco. O presente da literatura sobre o futuro: ficção científica e o mercado editorial brasileiro. 2009. 101 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação - Habilitação em Produção Editorial) - Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2009.pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/323-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAnálise editorialpt_BR
dc.subjectProdução editorialpt_BR
dc.subjectMercado editorialpt_BR
dc.subjectBrasilpt_BR
dc.titleO Presente da Literatura sobre o Futuro: ficção científica e o mercado editorial brasileiropt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/4482415757591851pt_BR
dc.contributor.advisorCo1Monteiro, Mario Feijó Borges-
dc.contributor.advisorCo1Latteshttp://lattes.cnpq.br/5152972526429719pt_BR
dc.contributor.referee1Junior, Amaury Fernandes da Silva-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4122556035502006pt_BR
dc.description.resumoO presente trabalho tem como proposta analisar o mercado editorial brasileiro de ficção científica. Se podemos situar a origem da FC como gênero em histórias como Frankenstein, de Mary Shelley, ou nos relatos fantásticos de Julio Verne, hoje é muito difícil prever com precisão aonde ela se encaminha. As grandes obras do século passado, profundamente críticas e visionárias em relação ao presente e ao futuro, produziram impacto não apenas por sua qualidade literária, mas sobretudo pelas ideias que apresentavam: poucos são os que até hoje nunca ouviram falar de 1984 e Admirável mundo novo. Se naquele momento, porém, houve espaço para criações literárias sobre o futuro e as consequências da ciência para a sociedade, no início do século XXI, esse mercado editorial apresenta um cenário diferente. No Brasil, o “país do futuro”, mesmo durante a Golden Age da FC (1940/1950), o gênero sempre ganhou pouca atenção das editoras e do público geral; a produção editorial de ficção científica teve estímulo reduzido para se desenvolver, e poucos eram os autores que produziam obras dignas de publicação. No entanto, nos últimos anos têm-se notado algumas tentativas de reanimar o gênero perante o público, com criação de novos selos editoriais e uma intensa atividade na web, com blogs, e-zines e comunidades virtuais. A editora Aleph e o fanzine Scarium são exemplos desse palpitante renascimento. A tendência é de que a FC atinja seu potencial e, finalmente, torne-se um nicho comercialmente interessante, e iniciativas como essas talvez sejam mais que casos isolados.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Comunicaçãopt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO::JORNALISMO E EDITORACAOpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Comunicação - Produção editorial

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Monografia completa revisada.pdf733,01 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.