Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/3767
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorBatista, Nildo Alves-
dc.contributor.authorMotta, José Inácio Jardim-
dc.date.accessioned2018-03-21T23:06:10Z-
dc.date.available2018-03-23T03:00:16Z-
dc.date.issued1998-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/3767-
dc.description.abstractEvaluate the principal difficulties to the implementation of a decentralization administration in a municipality. The study took as i ts reference the process of continuos education which is the political recommendation for those who work in the health sector. The option was made to use the qualitative method as this was capable of giving voice to the administrators of the continuos education process as well as the agents localized in the basic health unit. Although there is a certain consensus in the official documents of the 3 spheres of the government the comprehension becomes confused in those involved in its investigation. The desire for knowledge, which is constantly affirmed is not perceived as a problem from the necessities demonstrated by the work process. A picture is therefore constructed of the individual exteriority with reference to relation between education and work. The organization of the work creates an “institutional culture” with a strong hierarchy which makes difficulties for more horizontal channels that approximate the real educational necessities demonstrated by those who work in the health sector.en
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectEducação em saúdept_BR
dc.subjectEducação permanentept_BR
dc.subjectPolítica educacionalpt_BR
dc.titleEducação permanente em saúde: da política do consenso à construção do dissensopt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9347541615414055pt_BR
dc.contributor.advisorCo1Ribeiro, Eliana Claudia de Otero-
dc.contributor.advisorCo1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9785495133604541pt_BR
dc.description.resumoTomando como pressuposto referencial os processos de educação permanente que estruturam seu eixo de definição e configuração de demandas educativas, a partir do processo de trabalho em saúde, e, levando em consideração que essa definição se faz hegemônica como recomendação política para o setor, o estudo tenta avaliar os principais obstáculos a operacionalização dessa política em um município de gestão semi-plena. Optou-se pelo método qualitativo como sendo aquele capaz de dar voz aos gestores dos processos de educação permanente, bem como aos agentes do trabalho localizados em unidades básicas de saúde. Apesar de um certo consenso construído a partir de documentos oficiais nas três esferas de governo, a compreensão de seu real significado se torna algo confuso na fala dos atores da investigação. O desejo por conhecimento, constantemente afirmado, não é problematizado a partir das necessidades apontadas pelo processo de trabalho, construindo assim um quadro de exterioridade do sujeito com referência a relação educação-trabalho. A organização do trabalho, constrói uma “cultura institucional” ainda fortemente hierarquizada, legitimando espaços de definição e operação de demandas, ao mesmo tempo que dificulta a criação de práticas mais horizontais que aproximem-se das reais necessidades educacionais apontadas pelo processo de trabalho em saúde.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto NUTES de Educação em Ciências e Saúdept_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação Educação em Ciências e Saúdept_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::PLANEJAMENTO E AVALIACAO EDUCACIONAL::POLITICA EDUCACIONALpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Educação em Ciências e Saúde

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
278629.pdf6,75 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.