Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/3830
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMartins, Adriana Leitão-
dc.contributor.authorMatos, Ana Cíntia da Silva-
dc.date.accessioned2018-04-05T22:39:53Z-
dc.date.available2018-04-07T03:00:23Z-
dc.date.issued2017-12-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/3830-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectLíngua portuguesapt_BR
dc.subjectMorfologiapt_BR
dc.subjectPortuguês do Brasilpt_BR
dc.titleO aspecto perfect no Português do Brasil: uma análise do tipo existencialpt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/3516755675572396pt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9901381970650994pt_BR
dc.contributor.referee1Lessa, Adriana Tavares Maurício-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2251483421572756pt_BR
dc.description.resumoO aspecto perfect, quando associado ao tempo presente, representa um evento que ocorreu ou se iniciou no passado e possui relevância no presente. Para Iatridou, Anagnostopoulou & Izvorski (2003), sua divisão é binária e pode ser caracterizado da seguinte forma quando associado ao presente: perfect existencial, que indica uma situação que ocorreu no passado e tem relevância no presente, e perfect universal, que indica uma situação que teve seu início no passado e se mantém até o presente. O objeto de estudo deste trabalho é o perfect do tipo existencial. O objetivo geral deste trabalho é contribuir para a descrição das realizações de perfect nas línguas e o objetivo específico é investigar as realizações de perfect existencial associado ao presente no português do Brasil. A hipótese é a de que há uma morfologia que veicula necessariamente o perfect existencial no PB. A metodologia utilizada para investigar tal fenômeno foi a aplicação de teste de preenchimento de lacuna, análise de dados obtidos através de postagens em blogs e a análise de dados de fala espontânea. Os resultados mostram que o perfect existencial é expresso através das morfologias de pretérito perfeito, perífrase verbal “acabar de” no pretérito perfeito + infinitivo do verbo e presente do indicativo e que a veiculação desse aspecto pode estar ancorada no uso do advérbio “já” associado à morfologia de pretérito perfeito. Dessa forma, a hipótese foi refutada, pois as morfologias encontradas não veiculam necessariamente o perfect existencial, podendo veicular outros aspectos desassociados do perfect existencial.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentFaculdade de Letraspt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LETRAS::LINGUA PORTUGUESApt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Letras - Literaturas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Matos, AC.pdf785,02 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.