Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/389
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCardoso, Monica Machado-
dc.contributor.authorSantos, Patrícia Matos dos-
dc.date.accessioned2016-05-20T17:24:29Z-
dc.date.available2016-05-22T03:00:12Z-
dc.date.issued2010-07-13-
dc.identifier.citationSANTOS, Patrícia M. Performance, investimento afetivo e disputa simbólica: a dinâmica da comunidade de fãs do grupo Backstreet Boys. 2010. 72f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação - Habilitação em Radialismo) - Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/389-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectBanda musicalpt_BR
dc.subjectMúsicapt_BR
dc.subjectBoybandpt_BR
dc.subjectSimbolismopt_BR
dc.titlePerformance, investimento afetivo e disputa simbólica: a dinâmica da comunidade de fãs do grupo Backstreet Boyspt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/3192570587798184pt_BR
dc.contributor.referee1Sovik, Liv Rebecca-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/7709834262127600pt_BR
dc.contributor.referee2Monteiro, Tiago José Lemos-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/4954471388974809pt_BR
dc.contributor.referee3Fernandes, Fátima Sobral-
dc.contributor.referee3Latteshttp://lattes.cnpq.br/6378629974313895pt_BR
dc.description.resumoFãs são conhecidos por atitudes extremas na tentativa de demonstrar admiração ou para chegar perto do ídolo. Embora muito desta visão permaneça até hoje no senso comum, com a expansão dos Estudos Culturais nos EUA e Inglaterra, a validade do discurso dominante sobre os fãs começou a ser questionada. O fã passou a ser visto, também, como um receptor criativo, capaz de transformar sua dedicação em novos artefatos e sentidos a partir do objeto de culto. A década de 1990 testemunhou o auge dos grupos de música pop formados por garotos, conhecidos como Boy Bands. O grupo Backstreet Boys, maior expoente do gênero, se tornou conhecido, principalmente, por arrastar uma multidão de fãs por onde passava. O comportamento destas fãs chamou a atenção da mídia. O aparente exagero nas práticas cotidianas das comunidades de fãs resultou em uma série de estereótipos e mitos, como o da histeria. Este trabalho tem como objetivo produzir uma abordagem que questione os discursos hegemônicos sobre os fãs e, assim, propor um referencial teórico que leva em consideração sua relação com o aparato midiático. O conceito de escuta performática de Simon Frith (1996) norteia boa parte deste trabalho, atualizado e articulado com as noções de investimento afetivo (GROSSBERG, 2001) e disputa simbólica (BOURDIEU,1983) a fim de constituir o arcabouço teórico necessário para compreender o comportamento das fãs diante de seus ídolos.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Comunicaçãopt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO::RADIO E TELEVISAOpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Comunicação - Radialismo

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
PASantos.pdf2.98 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.