Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/3943
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorDantas, Ana Letícia Almeida-
dc.contributor.authorSaraiva, Mylena Queiroz-
dc.date.accessioned2018-05-09T18:49:55Z-
dc.date.available2018-05-11T03:00:16Z-
dc.date.issued2017-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/3943-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectDosimetriapt_BR
dc.subjectMonitoramento de radiaçãopt_BR
dc.subjectInstrumentação (Física)pt_BR
dc.subjectEnergia nuclearpt_BR
dc.titleOtimização de metodologia para a monitoração de trabalhadores ocupacionalmente expostos a 123 I na produção de radiofármacospt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.referee1Gonçalves, Odair Dias-
dc.contributor.referee2Sousa, Wanderson de Oliveira-
dc.contributor.referee3Dantas, Ana Letícia Almeida-
dc.description.resumoO 123I é um radionuclídeo muito utilizado para diagnóstico em medicina nuclear. Sua produção em Centros de Radiofarmácia oferece risco de exposição externa e interna dos trabalhadores envolvidos nesta prática. O controle deste tipo de exposição, através da monitoração individual, é necessário para se estimar a magnitude das doses ocupacionais. O Laboratório de Monitoração “In Vivo” (LABMIV-IRD) desenvolve técnicas visando o atendimento da demanda por monitoração in vivo de trabalhadores. Este trabalho descreve a calibração do detector HPGe para monitoração de 123I na geometria tireoide em indivíduos ocupacionalmente expostos (IOEs). Para a obtenção da curva de calibração em Eficiência (cps/dps) vs Energia (keV), é utilizado um simulador de tireoide-pescoço, sendo este contaminado com atividade conhecida de 166mHo. A partir dos dados obtidos na medição do simulador, é calculado o fator de calibração específico para a quantificação de 123I na tireoide. O limite de detecção da técnica é avaliado através da determinação da Atividade Mínima Detetável (AMD), e suas derivações: Incorporação Mínima Detetável (IMD) e Dose Efetiva Mínima Detetável (DEMD). O procedimento adotado gerou um fator de calibração de (0,0079 ± 0,0001) cps/dps, AMD de 5Bq, IMD de 2,78x106 Bq e DEMD de 3,23x10-1 mSv, apresentando sensibilidade suficientemente alta para medição in vivo de 123I na tireoide e sendo adequado à monitoração de trabalhadores ocupacionalmente expostos na produção de radiofármacos.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Físicapt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::FISICA::FISICA NUCLEAR::METODOS EXPERIMENTAIS E INSTRUMENTACAO PARA PARTICULAS ELEMENTARES E FISICA NUCLEARpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Física Médica

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MQSaraiva.pdf3.17 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.