Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4036
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Litogeoquímica de rochas metavulcânicas máficas e ultramáficas paleoproterozóicas do cinturão metavulcanossedimentar Congonhas-Itaverava, sul do quadrilátero Ferrífero, Minas Gerais
Autor(es)/Inventor(es): Pessanha, Livia Borges
Orientador: Corrêa Neto, Atlas Vasconcelos
Resumo: O cinturão metavulcanossedimentar Congonhas-Itaverava faz parte do Cinturão Mineiro, localizado no extremo sul do Cráton São Francisco. O Cinturão Congonhas-Itaverava se estende por 30 km entre as cidades de Congonhas e Itaverava em uma direção SE-NW, coincidente com o Lineamento Congonhas. A maioria das rochas metavulcânicas máficas analisadas tem basaltos como protólitos; rochas com protólitos komatiíticos e picríticos também foram encontradas, sendo, porm de pequena expressão. As amostras apresentam assinaturas de uma série magmática transicional, entre toleiitica e calcio-alcalina. Os metabasaltos são caracterizados como rochas mais evoluídas do que os metakomatiitos e metapicritos, devido os seus baixos teores de NMg e altos teores de Zr. Os padrões em diagramas multielementares e as variações de TiO2, FeOt, P2O5, Al2O3, MgO, Cr ,Ni e Y em relação ao Zr e NMg permitem inferir que os metabasaltos podem ter sido originados a partir de magmas diferentes dos que deram origem aos metakomatiitos e metapicritos. No diagrama de discriminação de ambientes tectônicos Zr vs Zr/Y, as rochas metavulcânicas mficas se concentram nos campos do MORB e basaltos de arcos. As amostras de metakomatiitos, metapicritos e alguns metabasaltos ricos em Mg, situam-se no campo dos boninitos e rochas similares aos boninitos. No diagrama Ti vs V, os metabasaltos concentram-se no campo dos basaltos de fundo oceânico; metakomatiitos e dois metabasaltos, localizam-se no limite entre os campos dos basaltos de fundo oceânico e os de arcos. O metapicrito por sua vez, pertence ao campo dos basaltos de arco. A presença de anomalias negativas de Nb e a disposição das amostras no diagrama Nb/Yb vs Th/Yb podem ser relacionadas a contaminação crustal, pois a unidade inferior do cinturão é composta por derrames de lava e sedimentos depositados sobre os terrenos granito-gnaissicos. A conclusão que se pode chegar é que o magmatismo provavelmente teve início em crosta continental, e evolui para a formação de crosta oceânica.
Palavras-chave: Rochas máficas e ultramáficas
Quadrilátero Ferrífero
Cinturão Mineiro
Paleoproterozóico
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Fev-2015
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4036
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LBPessanha.pdf1,79 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.