Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4046
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Caracterização biogeoquímica e palinofaciológica de sedimentos superficiais lamosos da região de ressurgência da plataforma continental do sudeste brasileiro - Arraial do Cabo e Cabo Frio
Autor(es)/Inventor(es): Raphaelli, João Terra Assiny
Orientador: Mendonça Filho, João Graciano
Coorientador: Sobrinho, Frederico
Resumo: Algumas regiões como deltas, recifes de corais e lugares de ocorrência da ressurgência respondem por quase a totalidade da produtividade da matéria orgânica (MO) nos oceanos. O fenômeno ressurgência define-se como a ascensão de camadas d’água mais inferiores, frias e densas do oceano, trazendo consigo nutrientes responsáveis pelo input na produtividade de MO do sistema, podendo, dependendo das condições do ambiente, haver sua preservação gerando sedimentos com expressiva massa orgânica e potencialmente precursores de rochas geradoras de hidrocarbonetos. Neste trabalho foram realizadas análises de palinofácies, geoquímicas e biogeoquímicas em sedimentos superficiais coletados com box core de doze estações dispostas sobre o banco lamoso da região de ressurgência de Arraial do Cabo e Cabo Frio afim de que se caracterizasse a MO e se obtivesse dados ambientais e de sedimentação atuais para melhor entendimento do processo e lançar ferramentas para possíveis confecções futuras de modelos preditivos. De posse destas, verificou-se, quantitativa e qualitativamente, os componentes refratários da MO – Fitoclastos (FITO) com valores médios de 3,7%, Palinomorfos (PALINO) com valor médio de 4,35% e Matéria Orgânica Amorfa (MOA) predominando com valor médio de 91,9%. Também se fez geoquímica observando valores de Carbono Orgânico Total (COT) num range de 0,63 a 1,47 % e de Enxofre Total (S) entre 0,06 e 0,24%. Quanto a biogeoquímica, nos Biopolímeros foi observado Carboidratos (CHO) com valores entre 0,28 e 0,83, Proteínas (PTN) com valores entre 0,08 e 0,19 e Lipídios (LIP) com valores entre 0,09 e 1,05, além dos valores enzimáticos de Desidrogenase (ASTE) entre 0,47 e 0,64. e Esterase (ESTE) que variou valores de não detectado a 0,87. Tais dados puderam classificar o ambiente como marinho aberto oligotrófico oxidante, de produtividade autóctone e com considerável intervenção alóctone, continental e marinha, possivelmente através de correntes, e sem intervenção antropogênica.
Palavras-chave: Ressurgência
Biogeoquímica
Palinofácies
Biopolímeros
Arraial do Cabo
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Abr-2015
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4046
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
RAPHAELLI, J.T.A.pdf792,75 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.