Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4049
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Análise organofaciológica de sedimentos superficiais e testemunho da Lagoa Vermelha, RJ, Brasil
Autor(es)/Inventor(es): Ramos, Renan da Silva
Orientador: Mendonça Filho, João Graciano
Coorientador: Gomes, Sinda Beatriz Vianna Carvalhal
Resumo: A lagoa Vermelha é uma laguna localizada a aproximadamente 100 km a leste do Rio de Janeiro, entre os municípios de Saquarema e Araruama e faz parte do sistema lagunar de Araruama. Esta laguna caracteriza-se por ser um ambiente raso, hipersalino, carbonático. O reconhecimento dos ambientes carbonáticos como de provável valor econômico na exploração de petróleo (pré-sal) impulsionou a busca por análogos modernos no aspecto sedimentar, diagenético e geoquímico. Este trabalho tem como objetivo caracterizar a matéria orgânica particulada em dezesseis amostras de um testemunho (LV3) e de sedimentos superficiais (LV S) da Lagoa Vermelha, através da técnica de palinofácies associada a técnicas de geoquímica orgânica a fim de melhorar a compreensão da formação desses depósitos. As amostras apresentaram a predominância da matéria orgânica amorfa bacteriana em relação aos demais componentes da matéria orgânica. Dois tipos de Matéria Orgânica Amorfa Bacteriana foram encontrados: o tipo pelicular e a do tipo densa. A MOAB pelicular apresenta-se com morfologia fina, limites difusos, coloração castanho clara, em luz branca transmitida, e fluorescência fraca amarelada, sob luz azul/UV. Por sua vez, após sofrer retrabalhamento microbial esse material aparece com um aspecto denso apresentando grumos espessos, com inclusões de pirita e fitoclastos, contorno definido, coloração castanho escuro em luz branca transmitida e fluorescência forte amarelada, sob luz azul/UV. Os sedimentos superficiais não mostraram uma regularidade em seus componentes. O testemunho mostrou intervalos distintos, onde na base foram encontrados Cistos de Dinoflagelados indicando influência marinha e foram obtidos os valores mais elevados de carbono orgânico total (10,18%), enxofre (1,67%) e MOAB densa (85,50%). Entre 90 e 100 cm ficou evidente o aparecimento de estruturas organossedimentares, como esteiras microbianas e estromatólitos, corroborando com o aumento do valor de carbono inorgânico total, marcando o momento de confinamento da Lagoa Vermelha. O tipo de matéria orgânica encontrada no testemunho e nos sedimentos superficiais da laguna corrobora com a tipicamente associada aos sedimentos carbonáticos, concordando que a lagoa Vermelha é um ambiente de tal natureza, podendo ser tratado como análogo destes depósitos.
Palavras-chave: Lagoa Vermelha
Ambiente carbonático
Palinofácies
Geoquímica orgânica
Matéria orgânica amorfa bacteriana
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Jan-2015
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4049
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
RAMOS, R.S.pdf581,8 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.