Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/4096
Type: Trabalho de conclusão de graduação
Title: Análise Estrutural de Rochas do Grupo Mount Barren no Fitzgerald River National Park – Austrália Ocidental
Author(s)/Inventor(s): Oliveira, João Pedro de Souza
Advisor: Schmitt, Renata da Silva
Co-advisor: Tohver, Eric
Abstract: Na costa sudoeste australiana, a cerca de 390 km da metrópole Perth, existe uma faixa móvel produto da colagem de um antigo cráton hoje na Antárctica com o cráton arqueano Yilgarn (hoje no oeste da Austrália), o orógeno Albany-Fraser. Esse cinturão móvel tem idade Paleo a Mesoproterozóica e está relacionado ao amalgamento do supercontinente Rodínia. O Grupo Mount Barren, alvo deste trabalho, é uma unidade litoestratigráfica da bacia Barren, que foi depositada e empurrada sobre o cráton arqueano, e hoje está em sua maior parte erodida, com limitadas regiões de afloramento contínuo. Na literatura, o grupo Mount Barren faz parte de um cinturão de dobramentos associado a empurrões, de alinhamento SW-NE. Os sedimentos teriam sido empurrados para NW, sobre o cráton Yilgarn, mas o rejeito desse deslocamento é desconhecido. Este trabalho tem como objetivo estudar as estruturas deformacionais produzidas nos eventos tectônicos do Albany-Fraser, a fim de entender melhor a evolução do cinturão de dobramentos. Na área de estudos são reconhecidas 3 fases de deformação que produziram dois tipos principais de estruturas cada uma, além de outras estruturas, principalmente rúpteis, que não foram situadas na história evolutiva das deformações. A primeira fase de deformação identificada produziu dobras F1 cerradas a isoclinais com eixo caindo moderadamente para SW, e a clivagem espaçada plano axial S1. Essa fase dobrou a superfície de acamamento sedimentar S0, e está relacionada a regimes de tectônica tangencial, com predominância de cisalhamento simples. A segunda fase de deformação gerou as estruturas mais evidentes e difusas na área de estudos, as dobras F2, fechadas a apertadas, com plano axial vertical e eixo coplanar ao de F1, com caimento em ângulo baixo para SW. A clivagem S2 também é produto da segunda fase, ocorre como uma clivagem contínua nas camadas de competência alta e como uma clivagem de crenulação gradacional nas de competência baixa. As estruturas formadas na segunda fase foram formadas em um regime de cisalhamento puro, em uma compressão normal ao plano axial de F2, SE-NW. As dobras F3 e a clivagem S3 são as estruturas menos expressivas, e foram geradas na terceira fase de deformação. As dobras F3 são abertas e têm superfície axial sub vertical orientado SE-NW. S3 consiste em uma clivagem de crenulação gradacional fraca de zonas espaçadas. As estruturas deformacionais mapeadas são correlacionadas às identificadas por Wetherley (1998) em sua tese de doutorado. Dos 9 dobramentos e clivagens descritos pelo autor, 6 equivalem aos deste trabalho, e foram compilados em uma tabela que resume as deformações na área mapeada pelos diferentes cientistas ao longo dos anos.
Keywords: Mount Barren
Albany-Fraser
Mapeamento geológico
Geologia estrutural
Subject CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::GEOTECTONICA
Department : Instituto de Geociências
Publisher: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Issue Date: Dec-2015
Publisher country: Brasil
Language: por
Right access: Acesso Aberto
Appears in Collections:Geologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
OLIVEIRA, J.P.S.pdf7,83 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.