Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4115
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Fatores associados à deflagração de movimentos de massa no maciço da Pedra Branca
Autor(es)/Inventor(es): Damasceno, Edgard Pires
Orientador: Barroso, Emilio Velloso
Coorientador: Fonseca, Raquel Batista Medeiros da
Resumo: A relação entre deslizamentos e chuva é bastante estudada, no entanto ainda existe uma lacuna no conhecimento sobre como os fatores efetivos (variáveis latentes e inerentes às rochas e aos solos juntamente com a influência antrópica) influenciam a deflagração de movimentos de massa para o caso do Maciço da Pedra Branca. A cidade do Rio possui um sistema de alerta de deslizamentos implantado que contempla o fator pluviométrico mas que desconsidera características relevantes que controlam o comportamento mecânico das rochas e solos sob estresse hídrico. Assim este trabalho se propõe a investigar a influência de tais fatores na deflagração de movimentos de massa na área do maciço da Pedra Branca. Áreas montanhosas são particularmente susceptíveis a movimentos de massa. Dentre todos os domínios montanhosos do município, o maciço da Pedra Branca tem a maior expressão territorial e representa uma fronteira natural para a expansão urbana nas próximas décadas. Devido ao crescimento esperado da população residente dentro de seus limites e ao pouco conhecimento sobre a resposta da área à precipitação, a escolha da área como objeto de estudo é justificada. Foi feita a triagem de 73 laudos cedidos pela Fundação Geo-RIO e relacionados aos eventos pluviométricos significativos (EPS) entre os anos de 2010 e 2015 para garantir que as ocorrências tivessem a componente pluviométrica associada à deflagração dos movimentos. Um banco de dados foi gerado para fins de tratamento, análise e espacialização das ocorrências, além da verificação e a validação das coordenadas por meio dos programas ArcGis 10.3 e Google Earth. A classificação das tipologias de movimento de massa baseou-se nos registros textuais e fotográficos contidos nos laudos, tomando como base o sistema de classificação de Varnes (1958) acrescido de alguns termos mais gerais quando havia dúvida quanto à tipologia associada a um determinado evento. Os mapas temáticos produzidos permitiram o cruzamento entre os atributos efetivos e a localização das ocorrências, gerando estatísticas preliminares. Em seguida foram feitos cruzamentos entre dois ou mais atributos, gerando estatísticas de correlação. Finalmente foram escolhidas quatro variáveis quantitativas (foram selecionadas aquelas que apresentavam coerência geológica e as que mais contribuíam pra a variância dos dados) para a análise de componentes principais (PCA) de todos os eventos, divididos posteriormente em subgrupos segundo atributos qualitativos. Resultou disso um diagnóstico da dinâmica associativa entre variáveis e sua contribuição individual relativa para cada subgrupo. Encostas com perfil de curvatura côncavo (75%), áreas residenciais e de favelas (67,7%), litologia de biotita gnaisse ou gnaisse bandado (58,8%) e distância de até 100m de um lineamento (47,1%) foram identificados como os principais atores potencializadores de risco para a área de estudo. A maioria dos eventos é de escorregamentos translacionais (>17,8%) que mobilizam pequenos volumes (58%) de solo residual de mais de 2m de espessura (79,4%) e as quedas (7,4% do total) ocorrem mais em gnaisses (80%). Os eventos de maior porte estão dentro de um raio de 100m do lineamento mais próximo (75%), em favelas ou áreas residenciais (75%) e sobre gnaisses (75%). Os fatores deflagradores são diversos e a relação que mantêm entre si difere de lugar para lugar, justificando esforços continuados de pesquisa na compartimentalização de domínios geológico-geotécnico-geomorfológicos de comportamento similar, visando o aumento da previsibilidade de eventos potencialmente perigosos a nível local.
Palavras-chave: Movimentos de massa
Parque Estadual da Pedra Branca (SP)
Geologia estrutural
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::GEOTECTONICA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Mar-2018
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4115
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DAMASCENO, E.P.pdf1,97 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.