Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4145
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Mapeamento geológico e caracterização petrográfica das rochas do grupo Araí e seu embasamento na região sudeste de Arraias - TO
Autor(es)/Inventor(es): Freitas, Rodrigo Fernandes
Orientador: Bongiolo, Everton Marques
Coorientador: Pires, Gustavo Luiz Campos
Resumo: A área mapeada, que está localizada no Sudeste de Tocantins, em Arraias, pertence a Faixa Brasília. Inicialmente, a escolha da área se deu devido processamento dos dados públicos disponibilizados de geoquímica e geofísica pela equipe da Codelco. Entretanto, o objetivo principal foi associar as unidades da área com as descritas regionalmente para a Suíte Aurumina e Formação Arraias, Grupo Araí. As rochas encontradas na região mapeada foram classificadas por meio da mineralogia e granulação identificada como metatonalito, quartzito e metadacito. Utilizando o mapa geológico regional é possível comparar as rochas descritas pelo autor como pertencentes ao Grupo Araí e Suíte Aurumina, com as rochas encontradas na área mapeada. O pacote de quartizitos repousa em discordância erosiva sobre a unidade plutônica metatonalito. Posteriormente essas litologias são cortadas pela intrusão da unidade metadacito. Em seguida, há uma deformação onde as rochas são dobradas com eixo NW – SE, e depois falhadas (reversas) no sentido do cráton São Francisco. A petrografia revelou cloritização dos minerais máficos, seritização de plagioclásio e Kfeldspato, saussuritização do plagioclásio e carbonato substituindo plagioclásio. Dessa forma acreditase que a assembléia metamórfica encontrada no metonalito e metadacito seja composta por epidoto, carbonato, clorita e sericita, sugerindo que as rochas de ambas unidades foram submetidas a metamorfismo de grau semelhante e classificado como fácies xisto verde baixo. Utilizando a classificação da fácies metamórfica e o mapeamento geológico confeccionados durante o presente trabalho, juntamente da análise das falhas reversas e as camadas dobradas assimétricamente, pode-se perceber em qual contexto tectônico a área mapeada está inserida. Dessa forma, podemos concluir que a área em questão está inserida no contexto do domínio externo, onde somente a principal fase de deformação pode ser caracterizada.
Palavras-chave: Petrografia
Mapeamento geológico
Arraias (TO)
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA::PETROLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 2017
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4145
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
FREITAS, R.F.pdf5,41 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.