Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4749
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Geologia da região próxima a Dores de Campos, Estado de Minas Geraise e estudo do granito Gentio
Autor(es)/Inventor(es): Silva, Marize Muniz da
Orientador: Ávila, Ciro Alexandre
Coorientador: Bongiolo, Everton Marques
Resumo: O mapeamento geológico da área estudada permitiu a identificação de cinco unidades geológicas distintas: i) Metaperidotito – metagabro Estação Prados; ii) Greenstone belt Dores de Campos; iii) Ortognaisse tonalítico Brejo Alegre; iv) Gabro Vitoriano Veloso; v) Granito Gentio. As observações de campo apontam que tanto o metaperidotito – metagabro Estação Prados, quanto o greenstone belt Dores de Campos são as unidades mais antigas da área, seguidas pelo ortognaisse tonalítico Brejo Alegre e pelo granito Gentio, pois o primeiro é cortado por injeções félsicas correlacionadas ao ortognaisse tonalítico Brejo Alegre, enquanto o segundo ocorre como xenólitos no granito Gentio, bem como é cortado por diques tonalíticos correlacionados ao ortognaisse tonalítico Brejo Alegre. O metaperidotito–metagabro Estação Prados corresponde a um corpo ígneo plutônico cumulático com gradação desde peridotitos até gabros, passando por piroxenitos, onde suas rochas foram afetadas por pelo menos dois pulsos metamórficos. O greenstone belt Dores de Campos é representado por litótipos metaultramáficos e por litótipos máficos que corresponderiam a antigos derrames komatiíticos e basálticos. As rochas do metaperidotito–metagabro Estação Prados e as do greenstone belt Dores de Campos foram modificadas por pelo menos dois pulsos metamórficos, onde o primeiro pulso metamórfico seria da fácies anfibolito inferior, enquanto o segundo pulso seria da fácies xisto verde. Sugere-se que o primeiro pulso metamórfico seria correlato ao evento Paleoproterozoico I, cujo intervalo de idades varia entre 2250 e 2170 Ma, enquanto o segundo pulso metamórfico seria correlato ao evento Paleoproterozoico II, cujo intervalo varia entre 2131 e 2100 Ma. O ortognaisse tonalítico Brejo Alegre corresponde a um metatonalito leucocrático, médio a grosso, localmente porfirítico, fortemente deformado e cuja mineralogia essencial é representada por quartzo, plagioclásio e biotita, enquanto o granito Gentio corresponde a um granitóide cálcio-alcalino, peraluminoso, de alto potássio, enriquecido nos ETR leves e com anomalia negativa de Eu. Varia composicionalmente de tonalito a monzogranito, é predominantemente hololeucocrático e foi subdividido em fácies porfirítica e em fácies equigranular fina a média.
Palavras-chave: Granito Gentio
Mapeamento geológico
Petrografia
Geoquímica
Greesntone Belt Dores de Campos
Cinturão Mineiro
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Jan-2012
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4749
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SILVA, M.M.pdf8 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.