Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4758
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: A produção de alumínio no Brasil
Autor(es)/Inventor(es): Marques, Fábio Vinicius dos Reis
Orientador: Coelho, José Mário
Resumo: O grande consumo mundial de alumínio, que ultrapassou os 40 milhões de toneladas em 2011, mostra o quanto este metal é importante na indústria moderna e é hoje o mais consumido dentre os não ferrosos. Suas propriedades, como leveza, alta condutividade elétrica, grande resistência a corrosão e baixo ponto de fusão, permitem que seja utilizado de forma extensiva para a produção de diversos itens, tais como ligas metálicas, laminados e extrudados. Assim, este metal é utilizado como matéria-prima para diversos produtos e atende a mercados, como o setor automotivo e de construção civil, que tem aumentado a utilização do alumínio em suas linhas de produção. Sua obtenção na forma metálica segue um processo que se inicia, usualmente, na mineração da bauxita, seguida do seu beneficiamento. A bauxita beneficiada segue para a refinaria, onde passa por tratamento químico para a extração das impurezas, dando origem a um produto intermediário denominado alumina. A etapa final consiste em transformar a alumina em alumínio primário, na forma metálica, por meio da eletrólise, gerando o lingote de alumínio e, na sequência, seus produtos transformados. A bauxita no Brasil tem 98% de sua produção destinada às refinarias de alumina, enquanto que o restante é destinado à indústria de produtos refratários e químicos. As empresas produtoras de bauxita metalúrgica são integradas produzindo desde o minério (bauxita), que segue para as refinarias onde é produzida alumina e posteriormente alumínio primário. No Brasil, em 2011, foram produzidas de 31,7 milhões de toneladas de bauxita, 8,8 milhões de toneladas de alumina e 1,44 milhões de toneladas de alumínio primário. Apesar da grande atratividade para a produção de alumínio, o setor reduziu em 10% a capacidade produtiva no país nos últimos seis anos. Hoje os principais fabricantes de alumínio, são unânimes ao afirmar que o Brasil está fora do mapa mundial para se produzir o metal competitivamente, dentro das condições atuais. O problema é o elevado custo da energia cobrado no país.
Palavras-chave: Alumínio
Bauxita
Energia
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Mai-2013
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4758
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MARQUES, F.V.R.pdf476,01 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.