Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/4958
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Uma análise do relatório da Comissão de Inquérito do Congresso americano sobre a crise financeira de 2008
Autor(es)/Inventor(es): Bossardi, Pedro Vinícius Nascimento
Orientador: Prado, Luiz Carlos Thadeu Delorme
Resumo: O presente trabalho tem como objetivo discutir o relatório final apresentado pela Financial Crisis Inquiry Commission. Através dessa visão, traz-se à tona a discussão ocorrida em torno do estouro da bolha imobiliária de 2008. O texto trabalha expondo a evolução da desregulamentação financeira que ocorreu anterior a crise, como sendo um fator relevante, em contraponto ao posicionamento político dos deputados e senadores com relação ao nível de intervenção pública na discussão de soluções para a crise. Para tal análise buscou-se apresentar, sempre através da ótica do relatório produzido pela FCIC, como ocorreu a evolução das leis de regulação financeira correlacionando-as com os fatores que permitiram que a bolha chegasse à magnitude em que chegou. Apresentase então, ao fim do trabalho, a discussão dentro do meio político em conjunto com o processo legislativo ocorrido para criar uma resposta a sociedade, na expectativa de amenizar os efeitos econômicos negativos que poderiam ocorrer caso nenhuma ação fosse implementada.
Palavras-chave: Regulação financeira
Crise financeira
Mercado imobiliário
Finanças
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS
Departamento: Instituto de Economia
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Set-2016
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/4958
Aparece nas coleções:Ciências Econômicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Monografia PEDRO BOSSARDI 19_09_2016.pdf537,18 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.