Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/5067
Tipo: Dissertação
Título: Aspectos sociais de uma instituição fechada e de seu processo de transição democrática: um estudo de caso sobre uma comunidade de hansenianos
Autor(es)/Inventor(es): Belém, Elaine Corradini
Orientador: Oliveira, Pedro Assis Ribeiro de
Resumo: Estudo de caso sobre uma comunidade de hansenianos que foi fechada por cinquenta anos, e, depois de 1983, por decisão de política social do governo foi aberta no sentido de uma reintegração dos hansenianos a sociedade. O controle da endemia já era conhecido há alguns anos, sua cura e a desmistificação sobre as suas formas de conteúdo; mas a ação social dentro destas “colônias” ou “guetos” dos portadores da doença, ainda se fazia nos moldes anacrônicos da prática institucional coercitiva, autoritária, comum as instituições fechadas. O estudo tenta mostrar como era a vida dos moradores desta colônia enquanto instituição fechada e como eles se colocam hoje, suas expectativas e contradições, a partir de suas experiências dentro de uma comunidade aberta; como eles veem sua liberdade; a questão da cidadania destas pessoas; o que eles questionam neste período de transição, onde seus “Fantasmas”, como o estigma social que traz a doença ainda aparece. Mas ao mesmo tempo passam de espectadores a atores de uma ação social com o poder para falarem e serem ouvidos pela administração da instituição, dentro de uma convivência democrática onde eles poderão sugerir e assumir decisões que digam respeito a seus destinos.
Resumo : Etude de cas sur une communaute de lepreux que a ete fermee durante cinquante ans, et, apres 1983, par une decision politique sociale du gouvernement pressione en partie par les mouvements de ces communautes, a ete ouverte avec le but d’une reintegrations des malades a la societe. Le controle de l’endemie etait de a connu depuis quelques anos, sa guerison, et la demistification sur leurs formes de contagion; mais l’action sociale dans ces "colonies" ou "ghettos" des porteus de la maladie de Hansen etait encore genee de façon anachronique dans une pratique institutionelle coercitive, autoritaire, frequente dans les institutions fermees. L’etude essaie de montrer comment etait la vie des habitants dans une colonie por malades de Hansen pendant institution fermee et conment ils se placent aujourd’hou, leus expectatives et contradictions, a partir de leus experiences dans une communaute ouvert; comment ils voient leus liberte; la question de la cidadanie de ces persones; ce qu’iils questionnent dans cette periode de transition, ou leurs "fantasmes" comme le stigmate social de l’infirmete sont encore vus, mais em meme temps ils deviennent acteurs d’une action sociale au lieu de spectateurs, ayant le povoir de parler et etre ecoutes aupres de l’administration de l’institution dans une cohabitation democratique ou ils pourront etre maitres de leurs destin.
Palavras-chave: Serviço social
Hanseniase
Hospitais
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::SERVICO SOCIAL::SERVICO SOCIAL APLICADO::SERVICO SOCIAL DA SAUDE
Programa: Programa de Pós-Graduação em Serviço Social
Departamento: Escola de Serviço Social
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Abr-1990
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/5067
Aparece nas coleções:Serviço Social

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
568355.pdf22,1 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.