Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/5122
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Contribuição à análise Estratigráfica da Formação Pimenteira (Devoniano, bacia do Parnaíba): caracterização de um potencial intervalo de rochas-reservatório
Autor(es)/Inventor(es): Young, Charles George Kepinski
Orientador: Almeida, Leonardo Fonseca Borghi de
Resumo: O registro sedimentar de regressões forçadas consiste frequentemente em um pacote de sedimentos marinhos macroclásticos, limitado acima e abaixo por lutitos. O conceito de regressão forçada trata de uma queda relativa do nível do mar, associada à migração da linha de costa bacia adentro, com subsequente progradação da linha de praia, seguido de transgressão marinha. Tal mecanismo é de grande importância por posicionar potenciais rochas-reservatório em direto contato com as rochas geradoras. A formação Pimenteira (Devoniano, bacia do Parnaíba) é entendida pela literatura como tendo sido depositada em uma paleoplataforma marinha, com eventual transporte de areias por correntes induzidas por tempestade. Durante estudo estratigráfico de 303 m de testemunhos de sondagem dessa formação em 7 poços da borda leste da bacia do Parnaíba, foi observado um intervalo arenítico, lateralmente contínuo (>140 km), formando um pacote com cerca de 20 m de espessura em contato brusco com os siltitos e folhelhos sobrejacentes e subjacentes e com características de rocha-reservatório. Este pacote observado foi aqui interpretado como resultante de uma regressão forçada, fato este não discutido na literatura. Para o intervalo arenítico foram descritas três litofácies e uma icnofácies, além de elaborados mapas de isópacas e de contorno estrutural. Para as rochas lutíticas encapsulantes do intervalo arenítico foram descritas 4 litofácies e uma icnofácies. Todas essas fácies foram agrupadas em duas associações de fácies, relacionadas a paleoambientes de antepraia e de costa-afora. Foram também identificadas três superfícies estratigráficas: uma discordante, uma transgressiva e outra de inundação, que permitiram a correlação estratigráfica entre os poços estudados. Tais resultados contribuem para o conhecimento estratigráfico dessa formação, além de permitir interpretar novos prospectos para possível acumulação de hidrocarbonetos na bacia do Parnaíba, visto que os folhelhos orgânicos dessa formação são considerados os principais geradores da bacia e que tais arenitos constituir-se-iam potenciais reservatórios.
Palavras-chave: Formação Pimenteira
Geologia do Petróleo
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Fev-2003
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/5122
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
YOUNG, C.G.K.pdf16,28 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.