Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/5126
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Estudo da formação Barreiras na Região de Quissamã - RJ com base em reflexão por ondas de Radar e Sondagens
Autor(es)/Inventor(es): Santos, Paula de Freitas
Orientador: Mello, Claudio Limeira
Resumo: Este trabalho teve como objetivo realizar um estudo em subsuperfície dos depósitos da Formação Barreiras na região de Quissamã, norte do Estado do Rio de Janeiro, através de uma comparação de seções de reflexão por ondas de radar com perfis litológicos obtidos em furos de sondagens. Numa primeira etapa de trabalho, foram realizados levantamentos geofísicos utilizando-se o sistema de GPR pulseEkko IV e antenas de 50 MHz, e investigadas quatro seções de GPR (Q-10, Q-12, Q-13 e Q-21), pelo modo de reflexão. Estas seções foram adquiridas através de caminhamento contínuo ao longo das linhas de prospecção, com um espaçamento de 2 m entre as antenas e intervalo de amostragem a cada 0,5 m. Para o cálculo das velocidades de transmissão das ondas de radar em subsuperfície foi utilizado o modo CMP, no qual as antenas de 50 MHz foram afastadas de 40 cm em 40 cm, até atingirem um afastamento de 20 m. Para cada uma das linhas de radar realizadas, foi efetuado o levantamento topográfico, utilizando-se trena e nível, de forma a permitir a correção da superfície do terreno. Após a correção topográfica, as linhas de GPR foram interpretadas utilizando-se overlays e as feições de radar (radarfácies) principais foram delineadas. Assim como ocorre com os levantamentos sísmicos, que fornecem os sismogramas, o GPR é uma ferramenta de prospecção geofísica que fornece uma imagem dos estratos em subsuperfície (radargrama), baseada nos padrões de reflexão que estes apresentam. Desta maneira, os princípios utilizados para a interpretação de dados de levantamentos sísmicos, a sismoestratigrafia, foram aplicados aos levantamentos por reflexão de ondas de radar. Com base na interpretação das linhas de GPR e de acordo com os padrões de reflexão de radar identificados, foram selecionados pontos para a realização de oito furos de sondagens, utilizando-se um trado mecânico, numa segunda etapa de trabalho. Estes furos tiveram como objetivo a descrição dos materiais em subsuperfície e sua correlação com os seus respectivos padrões de reflexão. A interpretação dos radargramas resultou na identificação de três unidades de radar, que foram correlacionadas a três unidades estratigráficas, definidas a partir de furos de sondagens: (i) os depósitos da Formação Barreiras, caracterizados por ciclos arenosos granodecrescentes, com grau variável de ferruginização, camadas pouco espessas de lamitos argilosos e presença de cascalhos na base, foram associados a um padrão de refletores ondulados, mais ou menos contínuos, de aspecto entrecruzado, com geometrias côncavas para cima (unidade de radar I); (ii) os sedimentos pós-Barreiras, caracterizados por areias castanho-amareladas a castanho-avermelhadas, finas a grossas, argilosas e com grânulos, foram associados a padrões de refletores contínuos, paralelos, às vezes pouco irregulares, que acompanham a superfície do terreno (unidade de radar II); (iii) as rochas do embasamento, descritas como material argilo-síltico a areno-argiloso, de cores variegadas, micáceo, às vezes com muitos grânulos de quartzo, mosqueado e com presença de concreções ferruginosas, apresentaram um padrão de refletores marcado por feições de hipérboles, convexas para cima, ou refletores fortemente inclinados, paralelos, às vezes cruzados em “X” (unidade de radar III). Os resultados obtidos mostram que a técnica de prospecção por reflexão de ondas de radar (GPR) com antenas de freqüência igual a 50MHz empregada neste estudo forneceu resultados satisfatórios, permitindo a obtenção de imagens contínuas e de boa resolução para as interpretações e etapas seguintes do trabalho; o trado mecânico demonstrou ser um instrumento adequado para a caracterização dos materiais em subsuperfície aqui estudados, permitindo a descrição e perfilagem até alcançar o embasamento, exceto quando o lençol freático foi atingido antes, o que dificultava ou mesmo impediu a recuperação dos materiais perfurados. Os sedimentos da Formação Barreiras descritos neste estudo podem ser interpretados como depósitos de canais fluviais, com pouca participação de sedimentos suspensivos ou por fluxos gravitacionais, concordando com interpretações anteriores para depósitos aflorantes na região de Quissamã.
Palavras-chave: Cenozóico
Formação Barreiras
Radar de Penetração no Solo (GPR)
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Fev-2004
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/5126
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
SANTOS, P.F.pdf3,51 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.