Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/5205
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Análise e correlação bioestratigráfica de testemunhos a pistão no sistema Almirante Câmara (Bacia de Campos), baseadas em foraminíferos planctônicos e com apoio de geoprocessamento
Autor(es)/Inventor(es): Antunes, Isabella Lopes
Orientador: Rios Netto, Aristóteles de Moraes
Coorientador: Abreu, Carlos Jorge de
Resumo: Atualmente, grande parte da produção de hidrocarbonetos no Brasil, aproximadamente 90%, provém da Bacia de Campos e estão associados a reservatórios de turbiditos em águas profundas. Na região central da Bacia de Campos localiza-se o Sistema Almirante Câmara, composto por cânion – complexo de canais – complexo de lobos, que representa um contexto de sedimentação que vem se repetindo, com mais clareza, desde o Oligoceno, no qual inserem-se os reservatórios turbidíticos da bacia. O presente trabalho teve como objetivo contribuir para um melhor entendimento da dinâmica de sedimentação quaternária atual nessa área, através da interpretação bioestratigráfica de três testemunhos a pistão, com base em foraminíferos planctônicos. Foram utilizadas 109 amostras provenientes dos testemunhos LAC-28 e LAC-30 (Cânion Almirante Câmara ), e LAC-24 (Complexo de Lobos Almirante Câmara). Para apoiar essa interpretação foram usados recursos de Geoprocessamento, com a geração de modelo digital do fundo ocêanico para a região, através do software ArcGis 9.2. Esse recurso se mostrou de fundamental importância para alcançar o objetivo proposto. No testemunho LAC-28 está presente somente a Subzona Y1, não ocorre o Holoceno. As Subzonas Z1, Z2 e Y1 estão presentes no testemunho LAC-30 (Pleistoceno Superior – Holoceno). No testemunho LAC-24 reconheceu-se as Subzonas Z1 a Y3 e X1 a X5 (Pleistoceno Superior – Holoceno), identificando-se assim a presença de um hiato erosivo englobando parte da Subzona Y3, e as Subzonas Y4 e Y5 completas. Esse hiato, assim como outras características do LAC-24 foram relacionadas a variações do nível do mar no final do Quaternário. As taxas de sedimentação encontradas são condizentes com o contexto geomorfológico de cada testemunho estudado.
Palavras-chave: Foraminíferos planctônicos
Quaternário
Bioestratigrafia
Bacia de Campos
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Jul-2009
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/5205
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ANTUNES, I.pdf2,43 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.