Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/5339
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorCosta, Jose Albuquerque-
dc.contributor.authorPereira, João Luiz Wanderley-
dc.date.accessioned2018-10-11T14:38:09Z-
dc.date.available2018-10-13T03:00:20Z-
dc.date.issued2010-12-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/5339-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectCopa do Mundopt_BR
dc.subjectDesenvolvimentopt_BR
dc.subjectJogos olímpicospt_BR
dc.subjectTurismopt_BR
dc.subjectEconomia brasileirapt_BR
dc.subjectEventos esportivospt_BR
dc.titleO impacto dos megaeventos esportivos: caso Brasil 2014 e 2016pt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.description.resumoGrandes eventos esportivos são oportunidades únicas para diversos setores de qualquer país que os recebe. Com a realização, em um curto período de tempo, da Copa do Mundo de Futebol, em 2014, e dos Jogos Olímpicos, em 2016, o Brasil – que já é líder na América do Sul e um dos destinos emergentes no mundo na realização de eventos internacionais - ganha condições de atingir um novo patamar na sua promoção como destino turístico global, além de propiciar a chance de se desenvolver em setores-chave da economia. A escolha do Brasil como país-sede desses dois megaeventos abre grandes oportunidades para diversos setores da economia. Eles vão desencadear um complexo conjunto de planos de negócios referentes a investimentos e parcerias públicas e privadas. Toda a economia será afetada, mas os efeitos se diluem pela cadeia produtiva, atingindo em primeira estância os setores ligados diretamente ao turismo, hotelaria, construção civil, setores de informação, serviços prestados a empresas, e outros, e em segundo plano atingindo setores que se beneficiarão indiretamente da realização dessas competições. Embora faltem quatro e seis anos para a realização da Copa do Mundo e das Olimpíadas, respectivamente, já é possível notar investimentos e projetos em vários setores, principalmente no de infra-estrutura (estádios, aeroportos, hotéis, vias públicas), segurança, logística, melhoria dos serviços turísticos. O poder público e a iniciativa privada planejam aportes na casa de bilhões para investir em obras em diversas cidades brasileiras, que renderão milhares de empregos temporários e/ou permanentes, darão visibilidade internacional ao Brasil e ainda incrementará notavelmente o turismo no país, o que é comprovadamente uma fonte de receita essencial. Este trabalho visa fomentar e levantar reflexões sobre as mudanças significativas que ocorrerão no Brasil antes, durante, e depois da realização desses dois eventos esportivos, além de apresentar algumas oportunidades de crescimento para a economia e sociedade. Inúmeros projetos já estão caminhando e idéias amadurecendo, embora seja clara a necessidade de se agilizar processos para que o “B” do BRIC esteja apto a hospedar os eventos analisadospt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentFaculdade de Administração e Ciências Contábeispt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAOpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Administração

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
O IMPACTO DOS MEGAEVENTOS ESPORTIVOS - CASO BRASIL 2014 E 20.pdf470,28 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.