Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/5348
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Bioestratigrafia de Radiolários Cenozoicos no banco de Maurice Ewing, Platô Falkland, Atlântico sudoeste
Autor(es)/Inventor(es): Lamm, Fábio
Orientador: Mendonça Filho, João Graciano
Coorientador: Eilert, Valesca Maria Portilla
Resumo: Este trabalho foi realizado a partir do estudo de radiolários identificados em amostras de sedimentos provenientes do testemunho IO 0775-47, perfurado durante a expedição 0775 do navio de pesquisas ARA Islas Orcadas. Esta expedição oceanográfica teve como objetivo a perfuração de testemunhos no Platô Falkland (Platô das Malvinas), no setor subantártico do Oceano Atlântico Sul. O testemunho IO 0775-47 foi recuperado a uma profundidade de 1.517 m de lâmina d’água, no Banco Maurice Ewing, apresentando 2,82 m de comprimento de sedimentos de idade cenozoica. A litologia consite predominantemente em intervalos com vasas silicosas e, secundariamente, em intervalos com vasas de nanofósseis calcários e arenitos com seixos. Esta abundante presença de sílica biogênica foi determinante para a escolha deste testemunho em função do objetivo estabelecido para este estudo, que visou compor o biozoneamento para o testemunho a partir do reconhecimento das biozonas com base nos bioeventos de primeira e última ocorrência dos táxons. As 29 amostras obtidas foram processadas quimicamente em laboratório, segundo a metodologia mais adequada às características litológicas de cada intervalo. O material residual foi depositado em lâminas permanentes, nas quais foi possível identificar as espécies de radiolários através da observação em microscópio óptico, possibilitando registrar a distribuição vertical dos táxons. O estudo das associações de radiolários presentes e a análise da distribuição estratigráfica dos táxons permitiu compor o biozoneamento do testemunho, a partir do reconhecimento das biozonas propostas para regiões de médias e altas latitudes. Assim, foram identificadas quatro zonas: 1) Zona Cycladophora golli regipileus; 2) Zona Eucyrtidium puntactum; 3) Zona Helotholus vema; e 4) Zona Antarctissa denticulata. Com base na correlação do zoneamento deste testemunho com o zoneamento proposto anteriormente, foi identificada a ausência de sete biozonas, caracterizando um importante hiato ao longo do testemunho. Este hiato foi verificado do Mioceno médio ao final, correspondendo a aproximadamente 10 milhões de anos. O hiato identificado neste estudo foi correlacionado com os registros prévios de outros autores realizados nas regiões antártica e subantártica, no mesmo intervalo de tempo geológico. Considerando-se o histórico geológico da área e a expressiva ausência de biozonas pôde-se concluir que o hiato verificado ao longo do testemunho IO 0775-47 é uma discordância. As causas desta discordância estariam relacionadas, principalmente, ao regime de circulação de correntes termoalinas que se instaurou na região após a abertura da Passagem de Drake, no Oligoceno final. Outros fatores que podem ter contribuído para a ocorrência desta discordância foram as variações climáticas, tais como glaciações, que provocaram mudanças nas velocidades dos fluxos das correntes termoalinas, culminando em períodos de erosão ou não deposição de sedimentos.
Palavras-chave: Radiolários
Bioestratigrafia do Cenozoico
Discordância
Banco Maurice Ewing
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Abr-2012
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/5348
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
LAMM, F.pdf2,45 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.