Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/5385
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorPolivanov, Helena-
dc.contributor.authorSenderowitz, Stephanie-
dc.date.accessioned2018-10-18T16:41:02Z-
dc.date.available2018-10-20T03:00:30Z-
dc.date.issued2011-06-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/5385-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectMineração de ouropt_BR
dc.subjectMercúriopt_BR
dc.subjectContaminaçãopt_BR
dc.titleDeterminação dos teores de mercúrio em solos, sedimentos e águas fluviais em área de mineração de ouro: estudo de caso do município de Paracatu (MG)pt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/5585486490281012pt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/3549138380965079pt_BR
dc.contributor.advisorCo1Cesar, Ricardo Gonçalves-
dc.contributor.advisorCo1Latteshttp://lattes.cnpq.br/0781662217686408pt_BR
dc.contributor.referee1Borges, Andrea Ferreira-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/1028222523174508pt_BR
dc.description.resumoO mercúrio é um contaminante de elevada toxicidade à saúde humana e à biota, o que tem despertado o interesse pelo entendimento de seu comportamento no ambiente. O presente trabalho trata da avaliação dos teores de mercúrio em águas, sedimentos fluviais e solos oriundos de uma área influenciada por mineração de ouro (Paracatu, MG). Para tanto, a campanha de coleta foi realizada em Setembro/2010. A caracterização físico-química das águas, realizada em campo, foi baseada na determinação do pH, condutividade elétrica, sólidos dissolvidos, temperatura e oxigênio dissolvido. A caracterização mineralógica dos solos e sedimentos foi realizada através de difratometria de raios-X. A quantificação dos teores de mercúrio foi efetuada utilizando o equipamento LUMEX, e em distintas frações granulométricas dos solos e sedimentos. Índices de poluição (IGEO e IGDG) foram calculados de forma a avaliar o comportamento e a intensidade da contaminação. Os resultados revelaram baixas concentrações de mercúrio para as amostras de água, porém anomalias na condutividade elétrica e no oxigênio dissolvido em relação à legislação brasileira. Os valores de pH dos solos e sedimentos ficaram na faixa da neutralidade. A caracterização mineralógica indicou a ocorrência de fases minerais comuns a ambientes que sofreram intenso intemperismo, tais como caulinita, gibbsita e hematita. As concentrações de mercúrio nos sedimentos e solos demonstraram a ocorrência de hot-spots de contaminação para as áreas diretamente influenciadas pela mineração de ouro, bem como nas áreas situadas próximas a despejo de esgoto doméstico, sugerindo com isso que o mercúrio pode ser utilizado como indicador de degradação ambiental oriunda da mineração (apresentando valores acima daqueles propostos pela Resolução do CONAMA 420). Portanto, com relação à contaminação por mercúrio, no presente, não é possível afirmar que exista impacto direto da mineração de ouro nas anomalias detectadas na região, já que essas são oriundas de rejeitos domésticos. Assim, a área não estando impactada por mercúrio decorrente da atividade mineradora.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Geociênciaspt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIApt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Geologia

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
SENDEROWITZ, S.pdf2,05 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.