Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/5396
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Análise permo-porosa de rochas carbonáticas albianas de parte da pedreira Carapeba, formação Riachuelo da bacia de Sergipe
Autor(es)/Inventor(es): Miranda, Patrícia de Souza
Orientador: Barroso, Emilio Velloso
Coorientador: Garcia, Antônio Jorge Vasconcellos
Resumo: Este trabalho é voltado para o estudo de petrofísica básica de dois níveis de rochas carbonáticas pertencentes à Pedreira Carapeba, Formação Riachuelo (Membro Maruim) da Bacia de Sergipe. Para tanto foram coletadas amostras de rochas carbonáticas de 2 níveis da pedreira (níveis 2 e 5) e o material amostrado submetido a ensaios petrofísicos, descrição de lâminas delgadas e difratometria de Raios-X para definir a possível presença de argilominerais. Para os ensaios em laboratório foram confeccionados plugues das amostras, as quais foram retiradas de dois níveis separados entre si por uma distância de aproximadamente 17,5m. Petrograficamente o nível 2 é um calcarenito dolomítico, texturalmente um packstone a grainstone heterogêneo, que pontualmente apresenta áreas lamosas e contaminação por terrígenos; a porosidade observada nesse nível é pequena e não fabric-seletiva. O nível 5 é composto por um calcarenito, texturalmente um grainstone mas com maior contaminação por terrígenos do que o nível 2; a porosidade presente no nível 5 tem melhor distribuição que a observada no nível 2 no entanto as áreas porosas são muito menores; ambas as amostras de rochas carbonáticas apresentam um arcabouço fechado, com muito baixa porosidade. Os ensaios petrofísicos foram realizados no Laboratório de Experimentos em Mecânica e Tecnologia das Rochas da Universidade Federal do Rio de Janeiro e no Laboratório de Petrofísica Básica da Petrobras/ Cenpes. Cálculos de porosidade, massa específica aparente seca e saturada e permeabilidade foram realizados. Comparados entre si, ambos mostraram que os níveis apresentam valores de porosidade e permeabilidade muito baixos, não apresentando características de reservatórios. O conteúdo de argilomineral foi considerado pequeno e pode resultar da alteração de grãos terrígenos, especialmente feldspatos ou estar relacionada às áreas lamosas observadas no nível 2. Os resultados obtidos nos ensaios petrofísicos que mostram baixa porosidade e/ou permeabilidade são corroborados e explicados pelas observações efetuadas nas lâminas delgadas.
Palavras-chave: Petrofísica
Bacia de Sergipe
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Fev-2013
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/5396
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
MIRANDA, P.S.pdf2,64 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.