Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/5503
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMello , Cecília Campello do Amaral-
dc.contributor.authorSouza, Egle Guinancio de-
dc.date.accessioned2018-10-30T14:03:35Z-
dc.date.available2018-11-01T03:00:15Z-
dc.date.issued2013-05-28-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/5503-
dc.description.abstractThis study aims to analyze the social, economic and spatial transformations occurred in the municipality of Nova Iguaçu from the point of view of the evolution of agriculture. Agricultural production historically marks the beginning of the occupation and settlement of the city. Today it is part of the Metropolitan Region of the city of Rio de Janeiro and is considered an urbanized city by IBGE. However, agricultural areas did not disappear, on the contrary, they continue playing an important role in the economy and in the configuration space. Our objective is to discuss the dichotomy between urban and rural areas, considering the association of the first, with the idea of modernity and the negative stereotyping of the second, defined as the space which hasn’t evolved. In order to achive this aim, we use as reference the Plano Diretor 1997, in which rural areas were excluded due to political interests and the Plano Diretor 2008, which rescues rural areas and ensures rigths yo its inhabitant. Amid the political conflicts we here analyse the agriculturer’s perceptions as well as the agricultural practices in this region of the periphery of the Baixada Fluminense also known as the buffer zone of the Federal Biological Reserve Tinguá.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAgriculturapt_BR
dc.subjectPlanos Diretorespt_BR
dc.subjectEspaço Urbano e Ruralpt_BR
dc.subjectUrbanizaçãopt_BR
dc.subjectNova Iguaçu (RJ)pt_BR
dc.titleA Cidade no campo e o campo na cidade: contribuição para o estudo da organização espacial e política das zonas rurais do município de Nova Iguaçupt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de especializaçãopt_BR
dc.contributor.referee1Kleiman, Mauro-
dc.description.resumoO presente trabalho tem como principal objetivo analisar as transformações sociais, econômicas e espaciais ocorridas no município de Nova Iguaçu a partir da evolução da agricultura. As produções agrícolas marcam historicamente o início da ocupação e povoamento do município, que hoje este compõe a Região Metropolitana da cidade do Rio de Janeiro e é considerado um município urbanizado pelo IBGE. No entanto, as zonas agrícolas não desapareceram, pelo contrário, elas continuam desempenhando um importante papel na economia e na configuração do espaço. Nosso objetivo é discutir a dicotomia entre os espaços urbano e rural, considerando a valorização do primeiro, uma vez que agrega a ideia de modernidade e a esterieotipação negativa do segundo, tido como lugar do atraso. Para tanto, tomaremos como referência os Planos Diretores de 1997, dos quais por interesses e divergências da política local as zonas rurais foram excluídas e o Plano Diretor de 2008, que resgata as zonas rurais e garante direitos aos seus ocupantes. Em meio aos conflitos políticos, analisaremos as percepções dos agricultores e, as práticas agrícolas presentes nesta região da periferia da Baixada Fluminense que é também faixa de amortecimento vegetal para a manutenção da preservação da Reserva Biológica Federal do Tinguá.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regionalpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regionalpt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADASpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Política e Planejamento Urbano

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
EGSouza-min.pdf643.79 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.