Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/5856
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Avaliação da ação inibidora de rejeitos da indústria do café para controle da corrosão metálica em meio ácido
Autor(es)/Inventor(es): Belati, Allan Jefferson Santana
Orientador: D’Elia, Eliane
Resumo: É produzida no Brasil uma grande quantidade de café, tanto para consumo interno quanto para exportação. Nessa grande quantidade, toda a casca do café é negligenciada, uma vez que seu destino, como alimentação de bovinos, é limitado. Neste estudo, tevese como objetivo avaliar a ação inibidora de extratos de casca de café (coffee husk) na corrosão metálica do aço carbono 1020 em meio de HCl. Para tal, utilizou-se de 2 principais tipos de extratos: o aquoso da casca do café (1); e a fração de alto peso molecular do extrato aquoso da casca do café (2). Para análise da eficiência de inibição, utilizou-se de ensaio gravimétrico, polarização potenciodinâmica e espectroscopia de impedância eletroquímica. Pôde-se observar que no ensaio gravimétrico de perda de massa, a eficiência de inibição (EI) aumentou com a concentração dos extratos e com o tempo de imersão, sendo o extrato 2 a ter apresentado maior EI, com EI máxima de 92% com 400 mg L-1, num tempo de 24 h. Com a variação da temperatura para esse ensaio, pôde-se observar que a EI do extrato 1 pouco variou, enquanto que a do extrato 2 aumentou com a temperatura, caracterizando uma adsorção química. Já pela polarização potenciodinâmica, os resultados indicaram que esses dois extratos atuam como inibidores de adsorção. Além disso, ambos os extratos apresentaram inibição predominantemente catódica. Com os ensaios de espectroscopia de impedância eletroquímica, pôde-se observar que para extratos 1 e 2 houve um comportamento que pode ser atribuindo à adsorção de substâncias do extrato na interface metal/meio corrosivo. A partir destes resultados, pode-se concluir que os componentes de alto peso molecular, como proteínas e polissacarídeos, são os responsáveis pela ação anticorrosiva na casca de café. Por fim, testou-se também o efeito da torra do café (extrato 3) na EI, o que não gerou melhores resultados que o extrato 2, levando à conclusão que não há necessidade de tratamento térmico para o uso desse extrato natural.
Palavras-chave: Café
Rejeitos industriais
Inibidores de corrosão
Eletroquímica.
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::QUIMICA::FISICO-QUIMICA::ELETROQUIMICA
Departamento: Instituto de Química
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 10-Fev-2015
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/5856
Aparece nas coleções:Química

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Allan Jefferson Santana Belati.pdf634,33 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.