Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/6016
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Correlação de Domínios Geológicos para a Reconstrução da Porção Central do Gondwana
Autor(es)/Inventor(es): Gomes, Igor Vasconcelos
Orientador: Schmitt, Renata da Silva
Resumo: O paleocontinente Gondwana formou-se durante a transição dos Éons Proterozóico e Fanerozóico, com a subducção de várias placas oceânicas e sucessivas colisões entre crátons. Como resultado desses eventos termo-tectônicos formaram-se diversos sistemas orogênicos. A reconstrução do Gondwana depende do encaixe de inúmeros blocos pré-neoproterozoicos ao longo destas faixas móveis e respeitando as feições das margens continentais atuais geradas desde o Cretáceo. No centro do Gondwana, o subcontinente indiano é tido como um dos fragmentos continentais cujas relações com os blocos adjacentes mais apresenta inconsistências e variações dos modelos de reconstrução ao longo dos anos. Assim, apresenta-se neste trabalho a utilização de piercing points, feições geológicas continentais de escala litosférica, que podem ajudar a reconstituir esta grande massa continental dentro do Gondwana. O estudo abrange domínios do sul do subcontinente indiano, Madagascar, Sri Lanka, leste da Antártica e leste da África, ao longo dos sistemas orogênicos do Leste Africano e de Kuunga. O banco de dados do Projeto Gondwana (UFRJ-PETROBRAS) com a geologia na escala 1:5M foi utilizado para aprimorar a reconstrução deste há 183 Ma, sendo parte do IGCP-628 “Geological Map of Gondwana and its tectonic evolution”, financiado pela UNESCO e PETROBRAS. Os piercing points entre os blocos que hoje estão separados por até 7.000 Km são reconhecidos como: (a) estruturas de deformação subverticais (zonas de cisalhamento, falhas); (b) contatos entre terrenos geológicos distintos (zonas de sutura, transição crátons-faixas moveis, etc); (c) derrames vulcânicos pré- a sin-ruptura do Gondwana; (d) terrenos com evolução crustal distinta; (e) terrenos com proveniências distintas (dados de zircão detríticos). Através da compilação, análise e comparação destes parâmetros e acréscimo de alguns dados offshore (i.e.: fraturas e anomalias magnéticas no assoalho oceânico) foi possível desenvolver um novo modelo para a reconstrução da porção central do Gondwana.
Palavras-chave: Geologia
Gondwana
Reconstrução
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::GEOCIENCIAS::GEOLOGIA
Departamento: Instituto de Geociências
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Dez-2018
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/6016
Aparece nas coleções:Geologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
GOMES, I.V.pdf7,65 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.