Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/6085
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorFávero, Maria de Lourdes de Albuquerque-
dc.contributor.authorMassunaga, Magda Rigaud Pantoja-
dc.date.accessioned2019-01-11T02:36:28Z-
dc.date.available2019-01-15T02:00:16Z-
dc.date.issued1989-06-21-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/6085-
dc.description.abstractThe aim of this work is to examine Pedro II School as the official institution designed to be the model for the secondary schools in Brazil, as well as its implications as a model during the period from 1930 to 1961. The effort to make secondary schools uniform dates back to the days of' the Empire; hence the creation of a school to serve as a model for all the others. However, Brazil' s great dimensions and variety of economic and cultural aspects, as well as the expansion of the number of secondary schools, made such uniformity impossible to be achieved. As a model institution , Pedro II School was given the adequate conditions to develop proper pedagogical work. It was also given such prerogatives as the elaboration of the teaching programs to be adopted by all of the secondary schools in the country and the presence of some of its members in official organs related to teaching and education.en
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectEducaçãopt_BR
dc.subjectRelações humanaspt_BR
dc.subjectOrientação educacionalpt_BR
dc.subjectEnsino médiopt_BR
dc.subjectColégio Pedro IIpt_BR
dc.titleO Colégio Pedro II e o ensino secundário brasileiro: 1930-1961pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/5617499303571123pt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/2798082863066562pt_BR
dc.contributor.referee1Gassman, Lydnea-
dc.contributor.referee2Soares, Gilda Maria Freitas Benevides-
dc.description.resumoExamina o Colégio Pedro II enquanto estabelecimento oficial padrão de ensino secundário no Brasil e as implicações deste patronato, particularmente no período entre 1930 e 1961. A preocupação com a uniformização do curso secundário foi uma constante no país desde os tempos do Império, dai a criação de um colégio para servir de padrão ou modelo aos demais. Contudo, as dimensões continentais do país e a grande diversidade econômica-cultural nela existente, juntamente com a acelerada expansão do ensino secundário iniciada nos anos 30, inviabilizaram na prática a almejada uniformização. Sendo o estabelecimento instituído para exercer o papel de modelo, o Pedro II contou com privilegiadas condições de funcionamento e atuação: recursos humanos e materiais capazes de assegurar um bom trabalho didático-pedagógico e também prerrogativas especiais, conferidas por lei e/ou por tradição, como a elaboração dos programas do ensino secundário a serem adotados em todo o país e a presença de seus catedráticos ou diretores em importantes instâncias técnico-administrativas relativas a ensino e educação.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentFaculdade de Educaçãopt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Educaçãopt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO::ADMINISTRACAO EDUCACIONALpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Aparece nas coleções:Educação

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
549681.pdf15,76 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.