Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/6088
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorCavalcanti, Ana Maria Tavares-
dc.contributor.authorAlcantara, Renato de Oliveira-
dc.date.accessioned2019-01-11T15:13:23Z-
dc.date.available2019-01-15T02:00:16Z-
dc.date.issued2018-
dc.identifier.citationALCANTARA, Renato de Oliveira. Vestígios das decorações interiores do Paço de São Cristóvão: a presença de uma ausência. 2018. 50 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em História da Arte) - Escola de Belas Artes, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2018.pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/6088-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectArquitetura de interiorespt_BR
dc.subjectPaço Imperial (Rio de Janeiro)pt_BR
dc.subjectMuseu Nacional (Brasil)pt_BR
dc.subjectSão Cristóvão (Rio de Janeiro, RJ)pt_BR
dc.titleVestígios das decorações interiores do paço de São Cristovão: a presença de uma ausênciapt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/3589319848375106pt_BR
dc.description.resumoAnálise de decorações interiores do Paço de São Cristóvão – atual casa do Museu Nacional – que remanesciam da época em que o imperador Pedro II ali morou. Essas decorações ainda presentes – até o incêndio de grandes proporções que atingiu o paço em 2 de setembro de 2018 – estavam sobretudo no segundo pavimento dos torreões norte e sul do edifício, abrangendo as salas denominadas: sala dos embaixadores, sala do trono, gabinete de estudos, antessala e oratório. É a partir das decorações desses ambientes então, que o presente trabalho propõe uma investigação sobre quais seriam as possibilidades e relações de utilização entre esses espaços, bem como quais sentidos denotam as suas presenças e ausências decorativas. O objetivo é tentar compreender o eu foi a plenitude decorativa desses espaços através da presença de estuques e pinturas que permaneceram, e da ausência de equipamentos móveis que ali também existiram. O estudo permeia a composição desses ambientes em fins do século XIX, dada à análise do catálogo do leilão do espólio da família imperial de 1890, banida um ano antes por ocasião da Proclamação da República. Os vestígios das decorações interiores do Paço de São Cristóvão assim conferiam a presença de algo que está ausente.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Belas Artespt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::ARTES::FUNDAMENTOS E CRITICA DAS ARTES::HISTORIA DA ARTEpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Aparece nas coleções:História da Arte

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
RAlcantara.pdf1,25 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.