Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/6840
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorFurtado, Fátima-
dc.contributor.authorNascimento, Carla-
dc.date.accessioned2019-03-26T15:15:06Z-
dc.date.available2019-03-28T03:00:20Z-
dc.date.issued2006-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/6840-
dc.description.abstractThe process of urbanization is often analyzed in a way that is dissociated from social, economic, and cultural processes and relations. This conduct leads to mistakes and deviations from analysis and to the ensuing propositions, since the mutual influences between urbanization and social life are indisputable, a fact already evident in the industrial, cultural and political development of the nineteenth century. The regulations of Articles 182 and 183 of the Federal Constitution of 1988, in the decisive Chapter of Urban Policy, came about through Law No. 10,257 / 2001, called the City Statute. In this work it is argued that the edition of this Law officialized the birth of a new paradigm proposed to the public administration of the cities, based mainly on democratic management and mobilization for the fulfillment of the "Urban Rights", that is, the right to housing, , transportation, work, education, leisure, garbage collection, drainage of public roads and other services indispensable for social reproduction worthy of citizens. Thus, the paper analyzes the new challenges proposed for the effective implementation of the City Statute.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectPlanejamento urbanopt_BR
dc.subjectUrbanização - Brasilpt_BR
dc.subjectEstatuto da Cidadept_BR
dc.subjectPolítica urbanapt_BR
dc.titleEstatuto da Cidade: uma lei inspiradora de novos desafios para a política urbanapt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de especializaçãopt_BR
dc.contributor.advisorCo1Santos Júnior, Orlando Alves dos-
dc.description.resumoO processo de urbanização é muitas vezes analisado de forma dissociada dos processos e relações sociais, econômicas e culturais. Esta conduta acarreta erros e desvios de análise e nas proposições decorrentes, uma vez que são incontestáveis as influências mútuas entre urbanização e vida social, fato que já se colocava claramente no desenvolvimento industrial, cultural e político do século XIX. A regulamentação dos artigos 182 e 183 da Constituição Federal de 1988, no decisivo Capítulo da política Urbana, se deu através da Lei nº10.257/2001, chamada Estatuto da Cidade. Neste trabalho advoga-se que a edição desta Lei oficializou o nascimento de um novo paradigma proposto à administração pública das cidades, fundado principalmente na gestão democrática e na mobilização pelo cumprimento dos "Direitos Urbanos", ou seja, o direito à moradia, ao saneamento, ao transporte, ao trabalho, educação,, lazer, coleta de lixo, drenagem de vias públicas e outros serviços indispensáveis para a reprodução social digna dos cidadãos. Assim, o trabalho analisa os novos desafios propostos para a implementação efetiva do Estatuto da Cidade.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regionalpt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regionalpt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL::SERVICOS URBANOS E REGIONAIS::LEGISLACAO URBANA E REGIONALpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Política e Planejamento Urbano

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
CNascimento-min.pdf486.52 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.