Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/6926
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorMenegat, Marildo-
dc.contributor.authorCotta, Ana Lúcia-
dc.date.accessioned2019-04-02T17:58:24Z-
dc.date.available2019-04-04T03:00:08Z-
dc.date.issued2016-
dc.identifier.citationCOTTA, Ana Lúcia. Questão urbana na região metropolitana de Belo Horizonte: a luta por moradia na comunidade Dandara. 2016. 80 f. Monografia (Graduação em Serviço Social) - Escola de Serviço Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/6926-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectMovimentos sociaispt_BR
dc.subjectReforma urbanapt_BR
dc.subjectNeoliberalismopt_BR
dc.titleQuestão urbana na região metropolitana de Belo Horizonte: a luta por moradia na comunidade Dandarapt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/3442163449053150pt_BR
dc.description.resumoA pretensão deste trabalho é analisar o processo de construção de uma nova forma de organização popular ancorada no objetivo tático de ser o ponto de liga entre sujeitos sociais do espaço rural e do urbano. Trata-se de uma articulação estratégica entre o MST e as Brigadas Populares e membros da CPT, além do Fórum de moradia do Barreiro na região metropolitana de Belo Horizonte. O objetivo era ocupar terrenos urbanos que não cumpriam sua função social, ante as demandas por moradia, sob a perspectiva de ‘recrutar’ indivíduos nos centros urbanos que apresentavam interesse em ocupar terras para trabalho e moradia em terrenos próximos aos centros urbanos. O planejamento e ação que realizou a ocupação urbana teve sua gênese orientada pela perspectiva denominada projeto ‘rururbano’ que surgiu em São Paulo no final da década de 1990 como estratégia de trazer o debate e tensionar na sociedade a necessidade da implementação da Reforma Agrária em contraposição ao modelo de desenvolvimento vigente no governo FHC. Quais as condições postas para realizar esta articulação entre movimentos sociais de territórios ambivalentes? Quais as perspectivas apresentadas no planejamento da ação conjunta? Quais os limites e suas causas em relação aos aspectos regionais, culturais, referentes ao planejamento urbano de Belo Horizonte? Qual o objetivo das organizações participantes deste processo? Recorreremos à análise histórica sobre as consequências dos movimentos de acumulação capitalista. Partimos da análise do que Harvey (2008) denomina de ‘acumulação por espoliação’ termo que o autor utiliza para descrever o processo de expulsão de camponeses do campo, e formas de direitos sobre a propriedade privada. Dentre um elenco de vários fatores constitutivos dessa forma de acumulação podemos destacar a de suprir as demandas de força de trabalho no meio urbano, gerado pela intensa inovação tecnológica decorrente do processo de industrialização e consequentes mudanças estruturais e conjunturais neste espaço.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Serviço Socialpt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::SERVICO SOCIALpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
ALCotta.pdf2,72 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.