Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/7971
Type: Dissertação
Title: Cobertura da terra em propriedades privadas na Amazônia: dinâmica de desmatamento e remanescente florestal
Author(s)/Inventor(s): Costa, Heliz Menezes da
Advisor: Freitas, Marcos Aurélio Vasconcelos de
Co-advisor: Lucena, André Frossard Pereira de
Abstract: A Floresta Amazônica, maior remanescente de floresta tropical do mundo, foi desmatada a uma taxa de 25.000 Km² por ano na década de 90. Entretanto, políticas ambientais e acordos setoriais fizeram com que esta taxa sofresse grandes reduções na década seguinte. Na COP 21 o Brasil se comprometeu a zerar o desmatamento ilegal até 2030. Para tal, é necessário aumentar o conhecimento sobre a interação entre diferentes grupos de atores e os padrões de desmatamento para ajudar na melhoria das atuais políticas. Assim, o objetivo do presente trabalho é analisar a contribuição relativa para o desmatamento por categorias de propriedades privadas durante o período 2002-2014, explorando também a estrutura de desmatamento por tamanho de polígonos por cada ator. O desmatamento foi calculado utilizando uma malha fundiária para o bioma amazônico e dados de mudança de cobertura florestal do PRODES e do GFC. A maior parte do desmatamento acumulado foi de responsabilidade de grandes propriedades, que também retém maior parte do remanescente florestal. Houve, também, um crescimento da contribuição relativa por parte de assentamentos. Além disso, houve uma mudança na estrutura do desmatamento, onde grandes polígonos de desmatamento contribuíram cada vez menos no desmatamento anual, paralelo a um aumento de desmatamento em pequenas áreas, indicando uma mudança de comportamento por parte dos atores.
Abstract: The Amazon Rainforest, the largest remnant of tropical rainforest in the world, was deforested at a rate of 25,000 km² per year in the 1990’s. However, environmental policies and supply chain interventions strongly reduced deforestation rates on the following decade. At COP 21, Brazil committed itself to end illegal deforestation by 2030. Despite the advances made, deforestation is still significant and there is a need to enhance knowledge about the interaction between different actor groups and deforestation patterns to help identify improvements in current policies. Thus, the objective of the present work is to analyze the relative contribution of private property categories to deforestation during the 2002-2014 period, also exploring deforestation structure by polygon size. Deforestation was calculated using a property grid and forest change data by PRODES and GFC. Most of the accumulated deforestation was the responsibility of large properties, which also retained most of the remaining forest. However, there has been an increase in the relative contribution of settlements. In addition, there was a change in deforestation structure, where large polygons contributed less to annual deforestation, parallel to an increase in deforestation in small areas, showing a behavior change by the actors.
Keywords: Amazônia
Desmatamento
Mudança de uso do solo
Propriedades privadas
Subject CNPq: CNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA DE PRODUCAO
Program: Programa de Pós-Graduação em Planejamento Energético
Department : Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia
Publisher: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Issue Date: Aug-2017
Publisher country: Brasil
Language: por
Right access: Acesso Aberto
Appears in Collections:Planejamento Energético

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
876202.pdf1,3 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.