Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/8719
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorBastos, Rogério Lustosa-
dc.contributor.authorPereira, Laiz de Meireles-
dc.date.accessioned2019-07-08T19:49:21Z-
dc.date.available2019-07-10T03:00:11Z-
dc.date.issued2016-
dc.identifier.citationPEREIRA, Laiz de Meireles. Serviço social, arte e autonomia na saúde mental: uma discussão através da musicoterapia no IPUB. 2016. 57 f. Trabalho de conclusão de curso (Graduação em Serviço Social) - Escola de Serviço Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/8719-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAssistência socialpt_BR
dc.subjectMusicoterapiapt_BR
dc.subjectSaúde mentalpt_BR
dc.titleServiço social, arte e autonomia na saúde mental: uma discussão através da musicoterapia no IPUBpt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/9754741301940547pt_BR
dc.contributor.referee1Sampaio Bisneto, José Augusto Vaz-
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9864673689428163pt_BR
dc.contributor.referee2Lima, Rita de Cassia Cavalcante-
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/7257538417951080pt_BR
dc.description.resumoDiscute sobre a intervenção profissional do Assistente Social na Saúde Mental, a forma de tratamento com a utilização da arte, mais precisamente a música, como alternativa à medicalização reinante no período pós Reforma Psiquiátrica, gerando uma Contra-Reforma. A musicoterapia do Instituto de Psiquiatria da UFRJ (IPUB) foi utilizada como exemplo na discussão. Para tal, este trabalho fez uma pesquisa bibliográfica dentro do assunto abordado, aproximando-se de Candido e sua fabulação, dimensão estética de Marcuse, Konder e os marxistas, bem como Bisneto acerca do Serviço Social na Saúde Mental. O trabalho chama atenção para a medicalização massiva dos usuários de saúde mental, que acaba deixando-os presos a dependência de remédios e não mais nos muros dos manicômios. Debate ainda sobre os desafios que o profissional de Serviço Social enfrenta no cotidiano atuando na correlação de forças. Esta pesquisa chegou a várias conclusões, sendo a mais importante foi a de que a música, enquanto arte, utilizada como forma de tratamento, traz a libertação e emancipação do sujeito, na melhoria tanto de seu quadro quanto de seu relacionamento com familiares, amigos e a sociedade, chegando até mesmo à retomada de sua autonomia perdida por conta da doença mental e da massividade de medicação. Logo, a musicoterapia vem legitimando a Reforma Psiquiátrica humanizando o tratamento.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentEscola de Serviço Socialpt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::SERVICO SOCIAL::SERVICO SOCIAL APLICADO::SERVICO SOCIAL DA SAUDEpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Serviço Social

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
LMPereira.pdf1.06 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.