Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/9105
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSoares, Vitorvani-
dc.contributor.authorRinaldi, Fábio-
dc.date.accessioned2019-08-07T20:13:33Z-
dc.date.available2019-08-09T03:00:27Z-
dc.date.issued2010-
dc.identifier.citationRINALDI, Fábio. A lei de Boyle como exemplo de experimentação e aprendizagem. 2010. 49 f. Trabalho de conclusão de curso (Licenciatura em Física) – Instituto de Física, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/9105-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectHidrostáticapt_BR
dc.subjectGasespt_BR
dc.subjectEnsino de ciênciaspt_BR
dc.titleA lei de Boyle como exemplo de experimentação e aprendizagempt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.description.resumoApresenta o trabalho desenvolvido por Robert Boyle sobre a descrição das propriedades elásticas do ar. São demonstrados procedimentos e discutidos fundamentos que possam ser de valia para uma aula alternativa para a determinação da lei dos gases ideais. Em geral, nos cursos de física, os conceitos físicos são apresentados aos alunos a priori, sem nenhuma ou muito poucas justificativas e, ao aluno, só resta “verificar” as fórmulas apresentadas. O objetivo deste trabalho é construir estes conceitos físicos partindo-se da observação e da análise da interdependência entre a pressão submetida e o volume ocupado por um gás e obtermos, deste modo, a equação de estado dos gases apresentadas habitualmente nos livros didáticos. O presente trabalho tem um duplo objetivo. Primeiramente, observamos que o volume ocupado por um gás – em nosso caso, o ar ordinário – varia em função da pressão exercida por uma coluna de água mais a pressão atmosférica e, a partir desta informação, podemos construir com os alunos um modelo matemático para representar uma relação entre as grandezas físicas envolvidas: procedemos somente a partir da aquisição e a análise dos dados experimentais, sem nenhum conhecimento prévio da lei de Boyle. Em seguida, descrevemos em detalhes como Boyle procedeu ao realizar o seu experimento e estabelecer a sua famosa lei. Acreditamos que a nossa proposta em ensinar física aos alunos por meio de experimentos simples e de custo modesto desmistifique um pouco o mito que fazer ciência é sempre um processo caro e acessível a somente uns poucos privilegiados e permite ao aluno ser um participante ativo do processo científico.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Físicapt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS EXATAS E DA TERRA::FISICA::FISICA GERALpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Física

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FRinaldi.pdf7,22 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.