Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/964
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorHasenclever, Lia-
dc.contributor.authorFortes, Daniel Torquato-
dc.date.accessioned2016-10-27T01:54:56Z-
dc.date.available2016-10-28T03:00:20Z-
dc.date.issued2015-08-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/964-
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectMercado de segurospt_BR
dc.subjectSistema Nacional de Seguros Privadospt_BR
dc.subjectCapitalizaçãopt_BR
dc.subjectCrescimento do mercadopt_BR
dc.titleMercado de seguros no Brasil: análise das mudanças na estrutura de mercado entre 1980 e 2014pt_BR
dc.typeTrabalho de conclusão de graduaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/1501388573142596pt_BR
dc.contributor.referee1Mello, Maria Tereza Leopardi-
dc.contributor.referee2Prado, Luiz Carlos-
dc.description.resumoNos últimos anos, a estabilidade econômica e o aperfeiçoamento do arcabouço normativo proporcionaram condições para um desempenho notável do mercado segurador brasileiro, sendo alcançada em 2013 uma participação no PIB de 3,67%, somando-se as receitas com as provisões técnicas anuais. Nas décadas de 1970 e de 1980, o setor sofre uma mudança radical em sua estrutura, a partir da implementação de uma política de incentivos a fusões de firmas que operam em seguros, o que leva à contínua concentração e à crescente participação dos bancos no controle acionário de sociedades seguradoras. Já na década de 1990, com a adoção de uma série de reformas de cunho liberal que afetam a economia como um todo, disseminasse uma visão considerada tradicional nesta monografia. Há o entendimento de que a abertura e a desregulamentação dos mercados criam um cenário favorável à concorrência através da entrada de grupos estrangeiros. O objetivo deste trabalho é examinar os efeitos que as políticas de incentivo à fusão de sociedades seguradoras, de desregulamentação financeira e de abertura comercial das décadas de 1980 e 1990 provocaram sobre a estrutura do mercado de seguros do Brasil. A metodologia adotada foi uma análise de economia industrial, com ênfase no cálculo dos indicadores de concentração do mercado de seguros brasileiro e análise das mudanças ocorridas desde a década de 1980 através do modelo de bancassurance. Para tal utilizou-se literatura sobre o tema e explorou-se o banco de dados do Sistema de Estatísticas da SUSEP – SES, alimentado pelas próprias companhias seguradoras, resseguradoras, entidades abertas de previdência privada e sociedades de capitalização, através dos Formulários de Informações Periódicas (FIP). Foi utilizada a base completa do sistema, atualizada mensalmente, e tratada de acordo com a documentação e com os códigos disponibilizados de forma conjunta aos dados, de modo a identificar os segmentos do mercado e os indicadores desejados. Os principais resultados da análise indicam que, apesar de o setor ter apresentado um crescimento expressivo no período analisado, a abertura comercial e a entrada de grupos estrangeiros não criaram um cenário favorável à concorrência. Isto pode ser explicado pela aproximação entre o setor bancário e o setor de seguros no Brasil, disseminando o modelo de bancassurance.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Economiapt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIApt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Ciências Econômicas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DTFortes.pdf682,61 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.