Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/1830
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: O mercado de Etanol e suas perspectivas de crescimento
Autor(es)/Inventor(es): Cordeiro, Igor Martins
Orientador: Pinto Junior, Helder Queiroz
Resumo: O mercado brasileiro de etanol combustível apresenta um futuro promissor e é visto hoje, novamente, como um grande potencial da economia brasileira, uma vez que, subproduto da agricultura, mais especificamente do setor sucroenergético, representa uma das principais fontes de energia do país ao suprir a crescente demanda gerada pela frota de carros flex-fuel. Por outro lado pode representar um importante componente da balança comercial brasileira, tendo em vista a crescente demanda do mercado externo por este produto, que é utilizado como aditivo à gasolina com o objetivo de reduzir as emissões de gás carbônico no meio-ambiente. Ao analisarmos este mercado e suas peculiaridades, o etanol combustível ganha ainda mais importância no cenário nacional. Atualmente, este combustível é primordial na matriz energética brasileira, além de se constituir numa atividade econômica que gera renda e emprego para milhares de brasileiros. Estas características combinadas aumentam sobremaneira a necessidade de um acompanhamento efetivo por parte do Governo e de suas instituições reguladoras, como já vimos no passado, através do Programa Nacional do Álcool em 1975, e recentemente, através da Medida Provisória n°532 que nomeou a Agência Nacional do Petróleo (ANP) como reguladora do mercado brasileiro de etanol. Atualmente com (i) as janelas de exportação que se abrem de maneira oportunista para o etanol brasileiro (janelas dependentes dos preços domésticos de cada país importador), (ii) a grande volatilidade dos preços internacionais do açúcar (produto que divide a mesma matéria-prima com o etanol brasileiro) e (iii) o foco dado ao combate da inflação no Brasil, surge um novo desafio ao Governo e ao setor sucroenergético, qual seja o de garantir o abastecimento interno, controlando assim o comportamento da inflação, em conjunto com o ganho da credibilidade externa e interna ao promover o etanol como uma fonte de energia renovável e limpa. O interessante deste trabalho se concentrará nos dois diferentes pontos de vista que irão nortear as decisões dos principais stakeholders envolvidos: o Governo que buscará exclusivamente a redução de efeitos negativos derivadas de um possível aumento de preços ao consumidor, enquanto que o setor privado que buscará um ganho de credibilidade para o setor, aliado ao aumento de suas receitas. O objetivo desta monografia é o de apresentar características e se aprofundar na análise deste desafio, buscando não só compreender os possíveis impactos de cada decisão, mas também entender a estratégia por trás dos principais stakeholders deste mercado: Governo e setor sucroenergético. O etanol brasileiro tem, de fato, excelentes perspectivas, visto sua grande escala e produtividade ímpares no mundo, no entanto alguns desafios terão de ser superados para que esta indústria ganhe plena confiança dos diversos agentes econômicos (internos e externos).
Palavras-chave: Setor sucroenergético
Programa Nacional do Álcool (ProAlcool)
Etanol
Combustíveis
Mercado brasileiro
Economia brasileira
Balança comercial
Agência Nacional do Petróleo (Brasil) (ANP)
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA
Departamento: Instituto de Economia
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: Mai-2012
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://hdl.handle.net/11422/1830
Aparece nas coleções:Ciências Econômicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
IMCordeiro.pdf749,58 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.