Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/2199
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: O cortiço: 100 anos depois de Pereira Passos
Autor(es)/Inventor(es): Costa, Aline Santos da
Orientador: Maia, Rosemere Santos
Resumo: Discorre sobre o a presença dos cortiços na atualidade na cidade do Rio de Janeiro, depois de passados aproximadamente cem anos de seu arrasamento durante o bota-abaixo na gestão do Prefeito Francisco Pereira Passos. Iniciamos este trabalho apresentando elementos bibliográficos que constatam a formação e desenvolvimento dos cortiços no Rio de Janeiro, a partir da segunda metade do século XIX, assim como os elementos inseridos no seu contexto: seus principais moradores, os motivos que levaram a optar por tal moradia, a insalubridade, criminalização da pobreza. O conjunto de elementos negativos e pejorativos atribuídos aos cortiços, que quase provocou sua extinção, resultou em ações governamentais de “limpeza urbana”, principalmente, quando Pereira Passos e Barata Ribeiro, assumiram a Prefeitura do Rio de Janeiro - em um período em que se buscava remodelar a capital federal, de acordo com modelos europeus, instituindo-se a Belle Époque Tropical, como mostraremos. Diante da constatação da existência dos cortiços atualmente, principalmente, na cidade do Rio de Janeiro, apresentaremos, por meio de observação empírica, as suas características atuais, bem como o perfil e o modo de vida de seus moradores, abordando as relações sociais, econômicas e políticas, além das dinâmicas culturais presentes entre os moradores desses espaços de moradia. Logo, conforme verificamos, apesar de ao longo dos três últimos séculos no Brasil, as favelas, as vilas operárias, os conjuntos habitacionais, e mais recentemente, os condomínios populares, considerados os principais espaços de habitação popular das famílias das classes pobres nas grandes cidades, o cortiço ainda é um modelo de moradia viável utilizado por muitas dessas famílias. Assim, questionamos: o cortiço como habitação popular, pode ser eliminado dos planos governamentais, como uma alternativa utilizada pelos segmentos populares para o enfrentamento da “questão habitacional”? Com o objetivo de analisar o papel que, atualmente, o cortiço desempenha entre os segmentos habitacionais contemporâneos, este trabalho buscou identificar as determinações econômicas, sociais, espaciais e culturais contidas na escolha pela moradia no cortiço; comparar as semelhanças e diferenças no modo de vida estabelecido no âmbito dos cortiços, existentes na atualidade com aqueles apresentados na sua formação; e constatar as interferências das políticas governamentais na persistência desse modelo de habitação. Os resultados que obtivemos nesta trabalho mostraram extrema relevância e primordialidade do cortiço no contexto da habitação popular brasileira.
Palavras-chave: Política habitacional
Pobreza
Habitação popular
Política social
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::SERVICO SOCIAL
Departamento: Escola de Serviço Social
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 14-Jun-2016
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Citação: COSTA, Aline Souza da. O cortiço: 100 anos depois de Pereira Passos. 2016. 179 f. Monografia (Graduação em Serviço Social) - Escola de Serviço Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.
URI: http://hdl.handle.net/11422/2199
Aparece nas coleções:Serviço Social

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ASCosta.pdf2,86 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.