Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/2883
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: A crise da mídia: defesa da imprensa pelo senso comum
Autor(es)/Inventor(es): Santos, Filipe Macon Pereira
Orientador: Cabral, Muniz Sodre de Araujo
Resumo: Verifica uma crise da imprensa. Dois motivos corroboram para o fenômeno: críticas à capacidade de reportagens refletirem o coletivo e deslocamento do lugar de produção de noticiário para além da imprensa com a Internet. A abordagem parte do fundamento do jornalismo, pelo controle da notícia. A partir de então, há o entendimento da base da profissão e como esta sofre abalos. Evidências de respostas da mídia apontam para o senso comum, como meio de sustentação dos veículos de informação em sociedade. Um mapeamento é feito para entendimento desse processo. Em seguida, descobre-se um projeto de construção de um modelo mediador da concepção coletiva, o que causa influência ao grande público, sem uma regulamentação específica. A linha de pensamento desembarca em uma questão final, que mobiliza todos pelo direito de saber em vida.
Palavras-chave: Mídia
Senso comum
Imprensa
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO::JORNALISMO E EDITORACAO
Departamento: Escola de Comunicação
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 11-Jul-2010
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Citação: SANTOS, Filipe Macon Pereira. A crise da mídia: defesa da imprensa pelo senso comum. 2010. 56 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação - Habilitação em Jornalismo) - Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.
URI: http://hdl.handle.net/11422/2883
Aparece nas coleções:Comunicação - Jornalismo

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
FSANTOS.pdf482,07 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.