Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/3862
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: Por que um jornalista se torna escritor?: três gerações para estudo de caso
Autor(es)/Inventor(es): Fraiha, Daniel de Lima
Orientador: Luz, Cristina Rego Monteiro da
Resumo: Analisa as motivações de jornalistas ao decidirem escrever livros, a partir do perfil de três profissionais de gerações diferentes da história recente da imprensa brasileira. Todos os três nomes escolhidos para compor a pesquisa destacaram-se como repórteres nos meios de comunicação nacionais e também marcaram posição no campo editorial. Para representar a geração mais antiga, que compreende o período iniciado na década de 50, será analisada a trajetória do jornalista José Louzeiro, nascido em 1932. A segunda geração retratada na pesquisa envolverá o repórter e escritor Caco Barcellos, nascido em 1950. Para representar a terceira geração estudada, Arnaldo Bloch foi o escolhido, tendo ele nascido em 1965. A pesquisa busca compreender suas motivações – profissionais ou familiares – em direção aos livros.
Palavras-chave: Jornalismo literário
Escritores
Formação profissional
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO::JORNALISMO E EDITORACAO
Departamento: Escola de Comunicação
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 17-Jul-2013
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Citação: FRAIHA, Daniel de Lima. Por que um jornalista se torna escritor?: três gerações para estudo de caso. 2013. 85 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação - Habilitação em Jornalismo) - Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.
URI: http://hdl.handle.net/11422/3862
Aparece nas coleções:Comunicação - Jornalismo

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
DFraiha.pdf1 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.