Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/11422/534
Tipo: Trabalho de conclusão de graduação
Título: E era uma vez o fim: representações da morte na literatura infantil
Autor(es)/Inventor(es): Lopes, Thaís de Carvalho Rodrigues
Orientador: Amaral, Marcio Tavares de
Resumo: Esse trabalho vai tratar das representações da morte como tabu, como metáfora e como finitude. A intenção é descobrir se é possível sugerir à criança que não há resposta para essa pergunta ou se necessariamente é preciso apresentar uma metáfora para o fim. Foi feito um panorama do surgimento da infância, das interpretações possíveis da finitude na filosofia e na antropologia e do comportamento das crianças diante da morte. Para diferenciar as abordagens existentes no mercado editorial, é questionado o valor literário de um livro infantil. A pesquisa passa por diversos estilos de escrita comuns ao gênero, como os contos de fada, os clássicos e os ilustrados, buscando as respostas que são oferecidas às crianças quando um personagem morre em uma história.
Palavras-chave: Tabu
Morte
Literatura infantil
Finitude
Metáfora
Assunto CNPq: CNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::COMUNICACAO::JORNALISMO E EDITORACAO
Departamento: Escola de Comunicação
Editor: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Data de publicação: 19-Dez-2013
País de publicação: Brasil
Idioma da publicação: por
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Citação: LOPES, Thaís de Carvalho Rodrigues. Era uma vez o fim: representações da morte na literatura infantil. 2013. 79 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Comunicação, Habilitação em Produção Editorial) – Escola de Comunicação, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2013
URI: http://hdl.handle.net/11422/534
Aparece nas coleções:Comunicação - Produção editorial

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCRLopes.pdf3,69 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.