Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/12905
Type: Trabalho de conclusão de graduação
Title: Práticas alimentares e anemia ferropriva em escolares de 6 a 14 anos de duas escolas públicas de Niterói, Rio de Janeiro
Author(s)/Inventor(s): Borges, Mayara Eringer
Advisor: Vasconcelos, Jackeline Christiane Pinto Lobato
Abstract: INTRODUÇÃO: No cenário atual em que o sobrepeso e a obesidade são uma relevante ameaça à saúde, a anemia ferropriva é considerada pela OMS (2001) um desvio nutricional grave e ainda presente na população mundial. De modo geral, uma dieta desprovida de quantidades suficientes de ferro é a principal causa de ocorrência desta doença. Outros fatores como práticas alimentares e condições socioeconômicas podem influenciar neste quadro que não se limita a ciclo de vida ou sexo podendo causar sérios danos à vida. OBJETIVO: Analisar a associação entre práticas alimentares e anemia ferropriva em escolares de 6 a 14 anos de duas escolas públicas do município de Niterói, Rio de Janeiro. MÉTODO: Trata-se de uma pesquisa descritiva e analítica, com abordagem quantitativa. Foi utilizado banco de dados da pesquisa “Associação entre o peso ao nascer e prevalência de sobrepeso, obesidade e hipertensão arterial em escolares residentes no município de Niterói, RJ”. Foram selecionados dados de 362 escolares entre 6 e 14 anos do banco de dados da pesquisa citada anteriormente com informações socioeconômicas e consumo de alimentos. Para diagnóstico de anemia foi utilizado critério determinado pela OMS (2001). RESULTADO: Entre os indivíduos com anemia, as maiores proporções foram para a faixa etária mais alta (entre 50% e 60% para os quatro critérios) e de meninas (de 60% a 66% para os quatro critérios). O consumo de feijão mostrou-se relacionado com a não ocorrência da anemia, pois para os escolares com anemia, 40% relataram consumir feijão poucas vezes na semana. Foi encontrada associação estatisticamente significativa entre ser amamentado e não apresentar anemia na idade de 6 a 14 anos. CONCLUSÃO: O consumo de alimentos in natura e a manutenção de práticas adequadas de alimentação são fatores importantes para evitar a ocorrência da anemia ferropriva; o aleitamento materno pode vir a evitar que o indivíduo desenvolva anemia na infância ou adolescência. Foi encontrada prevalência de anemia ferropriva acima do limite tolerável de 5% de ocorrência determinado pela OMS (2001) dentre os escolares deste estudo.
Keywords: Nutrição da criança
Anemia ferropriva
Comportamento alimentar
Abastecimento de alimentos
Subject CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA::SAUDE PUBLICA
Production unit: Instituto de Estudos em Saúde Coletiva
Publisher: Universidade Federal do Rio de Janeiro
Issue Date: 21-Mar-2017
Publisher country: Brasil
Language: por
Right access: Acesso Aberto
Appears in Collections:Saúde Coletiva

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
MEBorges.pdf289,56 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.