Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/13399
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.otherYoung, Carlos Eduardo Frickmann-
dc.contributor.otherMedeiros, Rodrigo-
dc.date.accessioned2020-11-25T16:55:33Z-
dc.date.available2020-11-27T03:00:09Z-
dc.date.issued2018-
dc.identifier.citationYOUNG, Carlos Eduardo Frickmann; MEDEIROS, Rodrigo (org.). Quanto vale o verde: a importância econômica das unidades de conservação brasileiras. Rio de Janeiro: Conservação Internacional, 2018. 181 p.pt_BR
dc.identifier.isbn9788598830346pt_BR
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/13399-
dc.description.abstractUnavailable.en
dc.languageporpt_BR
dc.publisherConservação Internacionalpt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.rights.uriAn error occurred getting the license - uri.*
dc.rights.uriAn error occurred getting the license - uri.*
dc.rights.uriAn error occurred getting the license - uri.*
dc.subjectUnidades de conservaçãopt_BR
dc.subjectEconomia ambientalpt_BR
dc.subjectBiodiversidadept_BR
dc.subjectEnvironmental economicsen
dc.subjectBiodiversityen
dc.subjectNatural resources conservation areasen
dc.titleQuanto vale o verde: a importância econômica das unidades de conservação brasileiraspt_BR
dc.typeLivropt_BR
dc.description.resumoO impacto dos resultados do estudo permitiu estabelecer um novo patamar de discussão sobre o papel das UCs na economia nacional, sobretudo em contraposição à percepção ainda existente em parte da sociedade que interpreta as áreas dedicadas à conservação como um entrave ao desenvolvimento econômico e social porque seriam incompatíveis com outras atividades produtivas, como mineração, agropecuária e geração de energia. A premissa por trás desse raciocínio é a de que os investimentos realizados com a conservação do meio ambiente não trazem benefícios tangíveis para a sociedade. O estudo realizado demonstrou o contrário, comprovando que são inúmeros e volumosos os retornos que as UCs trazem para a sociedade. Com a realização de novos compromissos do governo brasileiro relacionados ao meio ambiente, bem como com a maior difusão da discussão sobre as consequências das mudanças climáticas e da perda de biodiversidade, pretende-se agora atualizar e sofisticar a análise, verificando se as conclusões apontadas no estudo anterior permanecem válidas e adicionando temas, com projeções para um novo período de cinco anos. Neste livro são apresentados de maneira sistemática e objetiva os principais resultados gerados pelo estudo, contendo as principais mensagens sobre a contribuição e o impacto econômico que as unidades de conservação podem ter para a economia nacional em cinco grandes temas: extrativismo e pesca; turismo e uso público, recursos hídricos e solos, carbono e ICMS Ecológico.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto de Economiapt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ECONOMIA::ECONOMIAS AGRARIA E DOS RECURSOS NATURAIS::ECONOMIA DOS RECURSOS NATURAISpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Ciências Sociais Aplicadas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
978-85-98830-34-6.pdf4.21 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.