Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/11422/14006
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorRotunno Filho, Otto Corrêa-
dc.contributor.authorFerreira, Fernanda França-
dc.date.accessioned2021-04-05T01:13:55Z-
dc.date.available2021-04-06T03:00:08Z-
dc.date.issued2019-03-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/11422/14006-
dc.description.abstractResilience is a fundamental concept to understanding vegetation as dynamic component of the climate system. Complementarily, it expresses the ecosystem capacity to tolerate disturbances and recover its initial state. To associate resilience with agriculture production and pasture and forest preservation represents a socio-economical challenge to the Brazilian agriculture and livestock. In particular, this work focused on coffee crops and pasture fields. The objective was to perform an analysis of the evolution of the vegetation of the Itapemirim river basin throughout the years from 2000 to 2015 to evaluate the persistence and degree of vulnerability of the vegetation status with the support of satellite monitoring. NDVI defined by a 16-day composition product based on MODIS images was employed. The proposed approach evaluated negative and positive trends in the vegetation growth, which allowed to classifying such pattern behavior as persistent or not. In addition, the probabilities related to a defined persistence along time are calculated, jointly with the average lifetime for the decay of that probability. It is expected for healthy vegetation that the mean value of time for positive persistences is higher than the one for negative persistence values, which is the predominant result identified in the basin. Coffee crop presented positive decay well above the negative, which, in contrast to the average for the basin, indicated healthy vegetation. On the other hand, pasture analysis showed that there is a tendency of degradation of this type of soil use, highlighting lower resilience capacity.pt_BR
dc.languageporpt_BR
dc.publisherUniversidade Federal do Rio de Janeiropt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectModelagem hídrico-ambiental por satélitept_BR
dc.subjectAnálise de persistênciapt_BR
dc.subjectÍndice de vegetação NDVIpt_BR
dc.subjectImagem MODISpt_BR
dc.subjectCultura do cafépt_BR
dc.titleAnálise de persistência do estado da vegetação usando NDVI na bacia do Rio Itapemirim-ESpt_BR
dc.title.alternativePersistence analysis of vegetation status using NDVI applied to the Itapemirim River Basin-ESpt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.advisorLatteshttp://lattes.cnpq.br/1671354031859861pt_BR
dc.contributor.authorLatteshttp://lattes.cnpq.br/4889480245407487pt_BR
dc.contributor.referee1Araujo, Afonso Augusto Magalhães de-
dc.contributor.referee2Moreira, Daniel Medeiros-
dc.contributor.referee3Pecly, José Otavio Goulart-
dc.contributor.referee4Azevedo, José Paulo Soares de-
dc.contributor.referee5Xavier, Luciano Nóbrega Rodrigues-
dc.description.resumoResiliência é um conceito fundamental para a compreensão da vegetação como componente dinâmico do sistema climático. Complementarmente, exprime a capacidade dos ecossistemas para tolerar perturbações e recuperar seu estado inicial. Associar resiliência com produção agrícola e manutenção de áreas de pastagem e florestas representa um desafio socioeconômico para o setor agropecuário brasileiro. Em particular, neste trabalho, enfocou-se a cultura do café e áreas de pastagem. O objetivo foi realizar uma análise da evolução da vegetação da bacia hidrográfica do rio Itapemirim ao longo dos anos de 2000 a 2015 para avaliar a persistência e grau de vulnerabilidade do estado da vegetação via monitoramento por satélite. Foi empregado o índice de vegetação por diferença normalizada NDVI em composições de 16 dias a partir de imagens do sensor MODIS. A abordagem proposta avaliou tendências negativas e positivas no crescimento da vegetação, que permitiu classificar esse padrão de comportamento como persistente ou não. Adicionalmente, são calculadas as probabilidades de que determinada persistência se mantenha no tempo, assim como o tempo médio de vida para o decaimento dessa probabilidade. Para vegetação saudável, espera-se que o tempo médio de vida de persistências positivas seja superior ao das persistências negativas, resultado predominante identificado na bacia. O cultivo do café apresentou decaimento positivo bastante superior ao negativo, que, em contraste com a média da bacia, denotou vegetação saudável. Por outro lado, a análise das pastagens mostrou que existe uma tendência de degradação desse tipo de uso do solo, evidenciando uma baixa capacidade de resiliência.pt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.publisher.departmentInstituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenhariapt_BR
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Engenharia Civilpt_BR
dc.publisher.initialsUFRJpt_BR
dc.subject.cnpqCNPQ::ENGENHARIAS::ENGENHARIA CIVILpt_BR
dc.embargo.termsabertopt_BR
Appears in Collections:Engenharia Civil

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
FernandaFrancaFerreira.pdf6.88 MBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.